Páscoa e a Esperança cristã

Dom Severino Clasen
Arcebispo de Maringá (PR)

“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção para anunciar a Boa-Nova aos pobres” (Lc 4,18).

Em pleno Tríduo Pascal, iniciamos o mês de abril com esperança. Vivemos em tempos sombrios, desolados, retraídos, com medo. Alimentamos a esperança no Senhor que dá a vida. Ele institui o sacramento da caridade, lava os pés dos discípulos, reafirma o mandamento do amor, a caridade. Nestes três dias antes da Páscoa, Jesus revela o caminho para a Ressurreição: dispersão da humanidade, as falsas notícias, a hipocrisia dos fundamentalistas, negacionistas do tempo, dos moralistas que o levaram ao suplício da Cruz para não tocar nos conceitos e práticas hipócritas no Templo, que deveria ser a casa de Deus.

Depois do ensinamento do amor, confirmado na Instituição do Sacerdócio e Eucaristia, chama-nos para a vida em plenitude, presenteia-nos com sua Ressurreição na manhã do primeiro dia. Páscoa, superação da traição, da morte, retorno ao amor a Deus, ao próximo e esperança de vida eterna, ressurreição, certeza da vida definitiva em Deus.

No mistério pascal, o cristão vive no seu dia a dia de discipulado no Senhor. Para fortalecer o vínculo com o Senhor Ressuscitado, a Arquidiocese de Maringá está a caminho de assumir a Iniciação à Vida Cristã com inspiração catecumenal. A esperança está depositada em propor a mística da unidade, da colegialidade de nossas ações evangelizadoras nesta Igreja particular. Ao redor de Jesus Cristo Ressuscitado, retomemos o processo do seguimento que nos conduz na caminhada dos discípulos de Emaús (Lc 24,13-35), ao caminhar juntos, o Senhor esclarecia os passos da Sagrada Escritura, abre-lhes a mente, caminha com eles, parte o pão e se dá a eles. Neste gesto, partilhar o pão, está prefigurada a Eucaristia. Os discípulos, com o coração alimentados e aquecidos, O reconheceram e voltaram para testemunhar o que tinham visto, sentido e experimentado.

Queremos que os cristãos e cristãs façam a mesma experiência, caminhar com Jesus e experimentar sua presença, seu calor abrasador, aquecer os corações para construir um mundo de fraternidade, de unidade e de paz, “do que era dividido, Cristo fez uma unidade” (Ef 2,14).

A experiência iniciática, nos esclarece quem é Jesus de Nazaré, o que ele veio fazer e o que prometeu. Em contrapartida, pede de nós o amor ao próximo, o cuidado com os doentes, viúvas e pobres, espera mentes arejadas, participativa, em comunhão com as responsabilidades sociais, familiares, eclesiais.

Nossa fé é vida na família, na sociedade e na Igreja. Não somos ilhados, isolados, excluídos, privilegiados. Juntos somos chamados a construir um mundo mais justo e acolhedor.

Devemos assumir os compromissos de fé em sinal de comunhão e responsabilidade. Dou apenas um exemplo, a participação nas exigências da vida social; os frutos da Eucaristia convocam-nos a participar na discussão dos pedágios em nossas rodovias na nossa região. Não é possível aceitar contratos unilaterais onde alguns se enriquecem abusivamente enquanto os pobres, os sofredores os trabalhadores devem pagar a conta. Fé e vida caminham juntas. A fé nasce do Ressuscitado. Ele deu a vida, os homens tiraram a sua vida no alto da Cruz, Deus devolveu a vida. E a vida é dada a todos nós para vivermos em harmonia na sociedade.

Que não nos desesperemos neste tempo de pandemia. Já foi um ano de angústias e de perdas imensuráveis em milhares de famílias. Não podemos admitir que pessoas responsáveis em nenhum momento se dirigiu ao povo trazendo palavras de conforto, apenas provocações e descrédito, dando mal exemplo no cuidado e na disciplina para evitar contágios e mortes.

Que Nossa Senhora da Glória nos cubra com seu manto sagrado, que a vacina, a grande ferramenta para superar o coronavírus, não esteja na disputa de ideologias e de governos irresponsáveis e omissos. Nossas preces para as pessoas que perderam a vida por causa do Covid-19.

Que o Santo Espírito nos ilumine e nos una na construção de um mundo mais justo, acolhedor e fraterno.

 

 


Fonte: Noticias da CNBB

Rede Excelsior de Comunicação

Leve a rádio sempre com você
Baixe nosso aplicativo

Some description text for this item

receba novidades por email
Assine a nossa newsletter

Some description text for this item

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.