O segredo do Ressuscitado

Dom Lindomar Rocha Mota
São Luís de Montes Belos (GO)

 

Nos dias em que percorremos as narrativas da Páscoa, testemunhamos o estupor dos discípulos ao encontrarem novamente o seu Senhor.

As memórias são esticadas até o limite para atualizar as entrelinhas da pregação de Jesus, e encontrar os ecos que dessem sentido ao fato de que o Senhor continuava vivo.

Medo, incredulidade, desconhecimento, são apenas alguns dos sentimentos daqueles que, como Maria Madalena e os apóstolos, viram o Ressuscitado. A alegria chega mais tarde, e preencherá sucessivamente esse espaço com a realização do impossível.

Entretanto, Jesus continua no meio deles. Por cinquenta dias, como estamos acostumados a testemunhar, Jesus continua com eles. Dentro de casas, no desafio da pesca que parece infrutífera, ora na estrada e no caminho de Emaús.

São muitos os momentos que narram o encontro de Jesus com os seus, e em todos eles segredos são revelados para fortalecer o coração de todos nós.

Jesus Ressuscitado oferece a Paz! Paz a vós é o mantra do encontro. Não a paz que o mundo lhes dá, a minha Paz é o que vos dou.

Essa segunda Paz é o segredo do manifesto Pascal, porque não se resume em enunciados, mas sim, na certeza factual de que se pode vencer até mesmo a morte.

A Paz sussurrada aos ouvidos se torna certeza para aqueles que agora vivem. Do espanto do primeiro encontro com o indizível o coração é curado e a força insuportável do amor abre estrada para a pregação e o perdão.

Parcialmente entendida no primeiro sussurro, a Paz que Jesus dá faz dos discípulos pessoas corajosas, desafiadoras dos perigos e pregadoras em praça pública. Tão destemidas ficaram que, de dedo hirto, Pedro recordou aos carrascos de Jesus que Ele agora estava vivo.

Mas não é apenas para esnobar os seus executores que Jesus continua a formar os discípulos. Formar na experiência da Ressurreição é descer aos recônditos mais distantes do coração humano, retirando dele uma humanidade tão pura que o faz assemelhar-se ao divino.

 A Paz recebida pela presença de Jesus, que Vive, aprofunda-se em acalento, perdão e misericórdia. Pedro, após ter compreendido este segredo, depois do Pentecostes, ao comentar a culpa pela morte de Jesus dirá: “eu sei que vós agistes por ignorância, assim como os vossos chefes” (At 15,17).

A Paz concebida no desenrolar da Páscoa, por tanto, não somente é uma coisa bela, mas um acontecimento que faz quem dela experimentou também capaz de fazer coisas belas e alcançar a dimensão do amor e perdão divinos. Esse é o segredo do Ressuscitado!

 

 


Fonte: Noticias da CNBB

Rede Excelsior de Comunicação

Leve a rádio sempre com você
Baixe nosso aplicativo

Some description text for this item

receba novidades por email
Assine a nossa newsletter

Some description text for this item

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.