O desafio de crer, no mundo atual

Dom Murilo S.R. Krieger, scj

Arcebispo de São Salvador da Bahia – Primaz do Brasil

Uma característica de nosso tempo é a globalização. As redes sociais diminuíram as distâncias entre as pessoas, o acesso à cultura está ao alcance de multidões, descobertas da medicina chegam rapidamente aos mais remotos países etc. A qualidade de vida no planeta melhorou consideravelmente, embora nem todos tenham acesso ao progresso alcançado. É nesse mundo globalizado que vive quem acredita em Deus – daí a pergunta: como viver a fé no mundo atual?

A fé é um dom divino; é uma graça que o próprio Deus nos dá para o conhecermos. Pela fé, damos uma resposta à iniciativa de Deus, que se revela a nós. Porque cremos em Deus, cremos nas verdades que Ele nos revelou. A fé oferece uma orientação fundamental à vida. Ela é um ato pessoal, que nos liga a uma comunidade e é sustentada por ela.

Segundo o Catecismo da Igreja Católica, posso dizer “creio” porque, antes, a comunidade disse: “cremos”. “É antes de tudo a Igreja que crê e que dessa forma carrega, alimenta e sustenta minha fé.” Crer em Deus é um ato humano razoável. Não há oposição entre fé e razão. Essas duas realidades são, numa feliz expressão de S. João Paulo II, “como que as duas asas pelas quais o espírito humano se eleva para a contemplação da verdade”. Nem poderia ser diferente: como Deus é o criador do mundo visível, não poderia mesmo haver oposição entre o conhecimento cientifico e o da fé.

Nossa fé não se resume a um conjunto de verdades, mesmo que bem elaboradas, mas tem um nome e um rosto: os de Jesus de Nazaré. No cristianismo, ele é o ponto de partida. É preciso, pois, debruçar-nos sobre o Evangelho para conhecê-lo e, a partir de sua experiência pessoal, conhecer o Pai.

A imagem de Deus que Jesus nos propõe é original e única: a iniciativa da salvação é do Pai: “Ele nos amou primeiro”; o relacionamento entre o Pai e nós é marcado pela misericórdia; o amor toma a forma de serviço, como no Lava-pés. Agora, não é mais o homem e a mulher que servem a Deus, mas é Deus que os serve. A nova Aliança, que Jesus veio estabelecer entre nós e o Pai, não se baseia na obediência da Lei, mas no acolhimento do amor do Pai. Não mais se busca Deus, mas se acolhe Deus, que se comunica a nós e nos oferece seus dons. O Pai nos dá a capacidade de amar e o ser humano se torna templo do Espírito Santo, santuário de Deus. O homem descobre que o culto que agrada a Deus é o amor ao próximo; que Deus não olha os méritos das pessoas, mas suas necessidades e, por meio de Seu Filho, nos convida: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados e carregados de fardos, e eu vos darei descanso” (Mt 11,28).

Viver a fé no mundo contemporâneo é, ao mesmo tempo, uma maravilhosa aventura e um grande desafio. Vale a pena enfrentá-los!

O post O desafio de crer, no mundo atual apareceu primeiro em Arquidiocese de São Salvador da Bahia.


Fonte: Noticias da Arquidiocese de Salvador

Rede Excelsior de Comunicação

Leve a rádio sempre com você
Baixe nosso aplicativo

Some description text for this item

receba novidades por email
Assine a nossa newsletter

Some description text for this item

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.