“Igreja se compromete com os vulneráveis”, afirma dom Evaristo Spengler

Às vésperas do Dia da Amazônia, representantes de entidades eclesiais e de povos tradicionais amazônicos ocuparam o plenário Ulysses Guimarães, na Câmara dos Deputados, para entregar a carta dos bispos da região aos parlamentares. O ato ocorreu na manhã desta quarta-feira, dia 4 de setembro, e foi conduzido pelo bispo da prelazia de Marajó (PA), dom Evaristo Spengler, e pela Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM-Brasil), com a participação de representantes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Foto: CNBB/Luiz Lopes Jr

A proposta inicial do ato era aguardar o fim da sessão no plenário da casa, na qual se debatia a preservação e a proteção da Amazônia. Porém, o presidente da sessão, deputado Alessandro Molon, interrompeu os trabalhos para acolher a comitiva liderada por dom Evaristo e o convidou para discursar na tribuna.

Dom Evaristo leu um trecho da carta aprovada pelos bispos em encontro realizado na última semana, em Belém (PA), e alertou sobre o “contexto global de disputa” no qual a Amazônia está inserida.

Leia a carta aqui

“O Papa já havia denunciado em Puerto Maldonado, na Amazônia peruana, em janeiro de 2018, que a Amazônia é um território em disputa, é um território disputado por visões de mundo diferentes, por diferentes modos de ver a relação com o ambiente. São modos diferentes de tratar com a economia. De um lado vemos os povos tradicionais, indígenas, quilombolas, ribeirinhos que preservam o meio ambiente, até o enriquecem. Do outro lado, vemos o agronegócio, vemos as madeireiras, as mineradoras invadindo, poluindo o meio ambiente”.

Dom Evaristo também ressaltou o posicionamento da Igreja com a convocação do Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia: “de que lado nós estamos neste momento? Nós estamos do lado dos fracos, assim agia Jesus. Jesus defendia os pobres, os vulneráveis, os fracos, a Igreja se compromete com os povos indígenas, quilombolas, ribeirinhos e todos os povos vulneráveis da nossa Amazônia”.

Dom Evaristo discursa na tribuna da Câmara dos Deputados | Foto: CNBB/Luiz Lopes Jr.

Antes de entregar o documento, dom Evaristo pediu a solidariedade e o compromisso da comissão de parlamentares com causa indígena “pela qual muitos no Brasil e no exterior estão lutando”.

O deputado Alessandro Molon agradeceu pela realização do Sínodo para a Amazônia, no próximo mês de outubro, e pediu que transmitisse à Presidência da CNBB e ao Papa Francisco a “alegria com a realização e com a escolha deste tema”. Molon também reforçou que os parlamentares querem “que a Igreja continue com a sua coragem de colocar o dedo na ferida e de dizer o que precisa ser dito sobre a preservação da Amazônia. É grande a nossa esperança com o que sairá do Sínodo da Amazônia”, finalizou.

Dom Evaristo agradeceu e reforçou que “a Igreja continuará a ser profética, a denunciar o que deve ser denunciado, o que está contra os desígnios de Deus na terra”.

O ato contou com a participação da CNBB, da REPAM-Brasil, do Conselho Indigenista Missionário, das Pontifícias Obras Missionárias, do Centro Cultural Missionário e da Conferência dos Religiosos do Brasil e da Associação Nacional de Educação Católica (Anec), além de entidades da sociedade civil como o Núcleo de Estudos Amazônicos da Universidade de Brasília e a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos.

Povos tradicionais
Após a saída do plenário, o indígena Junior Xukuru fez ecoar pelo Salão Verde da Câmara dos Deputados um canto tradicional ressaltando a ligação dos povos indígenas com a terra, criação de Deus. Xukuru concluiu com o refrão “O jardim de Deus fica na Amazônia” e com a oração do Pai Nosso. A quilombola Anacleta Pires da Silva também convidou os presentes a cantarem junto e reforçou a necessidade de respeito às comunidades tradicionais.

Junior conduz canto indígena sobre a Amazônia | Foto: CNBB/Luiz Lopes Jr.

Anacleta Pires | Foto: CNBB/Luiz Lopes Jr.

Temos que entender que a região amazônica, enquanto responsabilidade de todos, é um espaço sagrado, mas ela faz parte de um mundo por completo. Ela é o coração, é parte de um corpo universal.
Anacleta Pires da Silva
Território quilombola Santa Rosa dos Pretos, em Itapecuru Mirim (MA)

 

 

 

Confira as fotos do evento

 

O post “Igreja se compromete com os vulneráveis”, afirma dom Evaristo Spengler apareceu primeiro em CNBB.


Fonte: Noticias da CNBB

Rede Excelsior de Comunicação

Leve a rádio sempre com você
Baixe nosso aplicativo

Some description text for this item

receba novidades por email
Assine a nossa newsletter

Some description text for this item

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.