Igreja, Casa e Missão

Dom Carlos Romulo G. e Silva                                                                                                                                            
Bispo de Montenegro

A Igreja Católica no Brasil, depois de longo período de avaliação e partilha, definiu suas novas Diretrizes para a sua ação evangelizadora para os anos de 2019 a 2023. Nós, como Igreja católica em Montenegro, também estamos avaliando nossa caminhada pastoral e evangelizadora para organizar nosso Plano de Pastoral para os próximos anos.

A Igreja sempre é chamada a voltar à fonte, que é a Palavra de Deus. A realidade da sociedade muda e por isso, somos chamados a buscar a água límpida da Palavra de Deus e Tradição da Igreja para que possamos encontrar a jovialidade e a criatividade para evangelizar.

Neste momento, nossa Diocese está num processo de avaliação de sua caminhada pastoral. Estamos olhando nossa realidade social e religiosa, para perceber os valores de nossa experiência eclesial e, ao mesmo tempo, os desafios que nos impulsionam, guiados pelo Espírito do Senhor, a dar novos passos.

As Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil estão construídas a partir da imagem da Casa. Por que esta escolha? Em primeiro lugar, porque a Igreja nasceu nesta experiência. Os primeiros cristãos cultivaram o primeiro anúncio do Evangelho nas casas. Pequenas comunidades abertas para uma grande missão. Nas Diretrizes encontramos esta iluminação: “Em seu duplo movimento, a Casa permite o ingresso e a saída. É, ao mesmo tempo, lugar de acolhimento e envio. Com isso, ela remete aos dois grandes eixos inspiradores destas Diretrizes: comunidade e missão. A Casa é a imagem do que as Diretrizes chamam de comunidades eclesiais missionárias” (Diretrizes da Ação Evangelizadora – Introdução, p.8). O ser cristão implica uma forte vivência comunitária, uma clara pertença existencial e sacramental, e ao mesmo tempo, um desejo de transbordar, de levar o anúncio do Evangelho até os confins da Terra (At 1,8).

Nossas paróquias e comunidades vieram desta experiência de muita proximidade. De modo especial, as comunidades eram lugares que as pessoas se conheciam e conviviam numa mesma realidade cultural. Hoje, vivemos uma realidade urbana, marcada por uma cultura globalizada. Podemos viver geograficamente próximos, mas com mentalidades bem diversificadas. É para esta nova realidade é que temos de pensar a evangelização. O Evangelho é o mesmo, com a mesma força, que quer iluminar nossa realidade atual.

Nossa missão é constituir comunidades vivas, acolhedoras e comprometidas, que sejam Casas. É fundamental uma experiência de sermos acolhidos pela misericórdia. Este encontro, nos leva a faz viver uma experiência de fraternidade, de comunidade. Por outro lado, faz parte da dinâmica do cristianismo, desde sua origem, o testemunho, pela vivência, pelo serviço e pelo anúncio, que se torna missão. A Comunidade que é Casa, acolhe e envia.

Desde o nosso Batismo, fazemos parte desta Casa. Que possamos tomar posse desta experiência cristã. Pelo Batismo, também recebemos uma missão, somos homens e mulheres novos, para testemunhar o Evangelho.

 

O post Igreja, Casa e Missão apareceu primeiro em CNBB.


Fonte: Noticias da CNBB

Rede Excelsior de Comunicação

Leve a rádio sempre com você
Baixe nosso aplicativo

Some description text for this item

receba novidades por email
Assine a nossa newsletter

Some description text for this item

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.