Dom José Sales fala sobre ações desempenhadas com população em situação de rua

A Pastoral Nacional do Povo da Rua vem acompanhando nesses últimos dias o processo crescente de casos notificados de pessoas afetadas pelo coronavírus. Acolhendo as preocupações de seus parceiros voluntários, solidários com a situação do povo que se encontra na rua, a Pastoral não tem medido esforços para encontrar estratégias de atuação e medidas a serem tomadas para que as pessoas em situação de rua recebam proteção necessária nesse cenário de crise.

“Somos convidados a exercitar a empatia nesse momento e colocar-se no lugar do outro com o senso de coletividade e com a chamada evangélica de Jesus ao encontrarmo-nos na situação do samaritano quando ele viu a realidade, sentiu compaixão e cuidou dele”, afirma a coordenação nacional.

Em entrevista ao portal da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o bispo referencial da Pastoral, dom José Luiz Ferreira Sales, disse que nesse tempo de pandemia, a Pastoral tem se preocupado muito com os moradores e com os catadores de matérias recicláveis. Segundo dom Luiz, estes irmãos e irmãs estão entre os mais fragilizados da sociedade.

“Quando dizemos que todos devem ficar em casa, mas onde é a casa desses irmãos e irmãs? É a rua! Quando dizemos para essas pessoas lavarem as mãos com álcool em gel, como essas pessoas vão lavar as mãos se não encontram nas ruas a água?”, questiona o bispo.

Dom José salienta que a Pastoral do Povo da Rua se propôs, entre as muitas frentes de trabalho, a intensificar a defesa dos direitos desse povo, frente à pandemia do coronavírus. Exemplo claro disso é que a Pastoral vem informando a importância de todos seguirem as recomendações do Ministério da Saúde, dando algumas orientações direcionadas aos agentes pastorais, serviços públicos e às paróquias, para que seja garantido o atendimento e oferta de local para higienização, alimentação e acolhimento das pessoas em situação de rua.

“Sabemos do fundamental trabalho que realizamos com a população em situação de rua lutando por políticas públicas de qualidade e por garantia de direitos. Cientes do nosso compromisso de pastoreiro e da importância deste momento, lançamos algumas informações a todos aqueles que necessitam”, afirma a coordenação nacional.

Nesse sentido, diversas ações estão sendo implantadas por agentes da Pastoral pelo Brasil afora. “Estamos assistindo muitos irmãos e irmãs entrar nessa luta, tornando possível o impossível, vamos continuar lutando para juntos colhermos em nossas cidades utopia, teimosia, rebeldia, sabedoria e poesia até que um dia todos possam ter reconhecida a sua dignidade”, afirmou dom José.

A coordenadora nacional da Pastoral do Povo da Rua, Regina Maria Morel, gravou um áudio contando sobre a experiência da Pastoral, especialmente nestes tempos de pandemia:

Audio da Regina

Confira algumas ações que estão sendo desenvolvidas em algumas localidades do país:


Teresina

Um grupo de voluntários da Pastoral do Povo da Rua decidiu se unir para ajudar moradores de rua e, assim, diminuir o risco de contaminação do coronavírus em Teresina. Uma das ações adotadas é a distribuição de alimentos no horário do almoço nesse período.

Fortaleza

A Arquidiocese de Fortaleza, em parceria também com a Pastoral do Povo da Rua, iniciou uma campanha que busca ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade diante da crise do coronavírus no Estado. Migrantes, pessoas em situação de rua, encarcerados e catadores estão entre os grupos que recebem auxílio da instituição, que será reforçado com a campanha. O objetivo é ajudá-los com necessidades urgentes de alimentação e higiene.

São Paulo

Padre Júlio Lancellotti, da Pastoral Povo de Rua, promoveu um abaixo-assinado para distribuição de álcool em gel e aumento de abrigos por parte do poder público. Para o líder religioso da Casa de Oração do Povo, no bairro da Moóca, a população na rua continua bastante vulnerável e carece de informações. Ele disponibilizou a paróquia como abrigo para moradores com suspeita da doença.

Manaus

Em Manaus, há uma base que passa a funcionar como abrigo para pessoas em situação de rua a partir de segunda-feira (30) e foi montada na Arena Poliesportiva Amadeu Teixeira. A estimativa é que 350 pessoas sejam atendidas diariamente no espaço.  O abrigo emergencial é resultado de um plano de emergência criado com a participação das secretarias de Governo e de entidades de assistência social que trabalham na abordagem e no atendimento a moradores em situação de rua, população muito vulnerável por apresentar a saúde debilitada. Organizações da Sociedade Civil (OSCs), Igreja Católica e órgãos da Prefeitura de Manaus também fazem parte da rede de acolhimento pensada para combater o avanço dos casos de coronavírus.

 

O post Dom José Sales fala sobre ações desempenhadas com população em situação de rua apareceu primeiro em CNBB.


Fonte: Noticias da CNBB

Rede Excelsior de Comunicação

Leve a rádio sempre com você
Baixe nosso aplicativo

Some description text for this item

receba novidades por email
Assine a nossa newsletter

Some description text for this item

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.