Dom Cipollini partilha papel da Comissão para a Doutrina da Fé

O bispo de Santo André (SP) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Pedro Carlos Cipollini, partilhou o documento apresentado à 57ª Assembleia Geral da entidade, com o qual aprestou o papel da comissão e os desafios que hoje são colocados aos bispos.

Dom Cipollini fez um resgate histórico do pedido da Santa Sé para que as conferências episcopais contassem com uma comissão dedicada a tratar as questões doutrinárias. Também ressaltou o serviço pastoral ao qual a comissão está voltada, a partir do “serviço à verdade […] não somente interessado nas ideias, mas numa incidência eficaz naquilo que o povo cristão crê, espera, deseja e ama”.

O bispo também indicou alguns dos propósitos da Comissão para a Doutrina da Fé:

“Assistir a CNBB no exercício do Magistério Doutrinal; Promover a fidelidade à Doutrina da Igreja e a integridade na sua transmissão; Emitir parecer sobre publicações que exigem esclarecimento a respeito da sua concordância com a fé; Avaliar, do ponto de vista doutrinal, os textos das Comissões e Grupos de trabalho da CNBB destinados à publicação; Promover a publicação de temas de interesse eclesial, etc. Enfim, cuidar da unidade, integridade na transmissão da fé”.

Na sequência do texto, dom Cipollini convida à reflexão sobre as várias dimensões da fé e também chama atenção para “sete tendências que atrapalham a vivência da fé na sua unidade e integralidade”, o que exige vigilância da parte dos bispos, segundo o presidente da Comissão para a Doutrina da Fé:

  1. Ateísmo e secularismo;
  2. Antropocentrismo exagerado que leva ao relativismo;
  3. Diminuição da abordagem sobre o pecado;
  4. Tentação de separar a “lex credendi da lex orandi e da lex agendi” (lei da crença da lei da oração e da lei da ação);
  5. A fé permeada apenas pelo emocional-afetivo e o folclórico;
  6. Teologia tentada a limitar-se a ser Ciência da Religião;
  7. Confiança excessiva na ação humana;

Continuando sua reflexão, dom Cipollini recorda a fala do Papa Francisco aos bispos no Rio de Janeiro, em 2013, quando chamou atenção para o clericalismo, o qual “sufoca a maturidade dos leigos na fé”. Disse o Papa: “O clericalismo reprimiu a maturação laical na América Latina”. “Isto dificulta a transmissão da fé, a missionariedade de toda a Igreja. Caracteriza-se aí a crise generativa, a dificuldade de transmitir a fé às novas gerações, algo que representa um grande desafio na atualidade”, pontuou.

O chamado aos bispos do Brasil, é para “empreender uma nova evangelização, com novos métodos e nova linguagem, porém sem mudar o conteúdo do depósito da fé. Toda nossa vida cristã é confiada ‘à regra de doutrina’ (Rm 6,17), daí a importância da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé no conjunto da missão e dos trabalhos da Conferência Episcopal”.

Para dom Cipollini, a Comissão de Doutrina deve agir com uma atitude positiva exercendo sua influência ao expor corretamente a sã doutrina mostrando a todos a beleza e a alegria de crer. “Para isso torna-se necessário que os bispos enviem sugestões à Comissão e digam o que esperam dela na prática, a partir dos objetivos propostos que aprovamos nesta 57ª Assembleia”, indicou.

Ao final de sua exposição, dom Cipollini agradeceu aos bispos que o acompanharam no trabalho da comissão nos últimos quatro anos – dom João Santos Cardoso, bispo de Bom Jesus da Lapa (BA); dom Waldemar Passini Dalbello, bispo de Luziânia (GO); dom Marcos Marian Piatek, bispo de Coari (AM); e dom Leomar Antônio Brustolin, bispo auxiliar de Porto Alegre (RS) -, ao assessor, monsenhor Antonio Luiz Catelan, e ao grupo de peritos.

O texto na íntegra pode ser conferido aqui.

O post Dom Cipollini partilha papel da Comissão para a Doutrina da Fé apareceu primeiro em CNBB.


Fonte: Noticias da CNBB

Rede Excelsior de Comunicação

Leve a rádio sempre com você
Baixe nosso aplicativo

Some description text for this item

receba novidades por email
Assine a nossa newsletter

Some description text for this item

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.