Cruz Salvadora

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre

Dostoievski, o atormentado de Deus, escreveu uma carta à baronesa Von Wizine, na qual expressa toda a sua busca: “crer que não existe nada de mais belo, de mais profundo, de mais simpático, de mais viril e de mais perfeito do que o Cristo; e eu o digo a mim mesmo, com um amor cioso, que não existe e não pode existir. Mais do que isto: se alguém me provar que o Cristo está fora da verdade e que esta não se acha n’Ele, prefiro ficar com o Cristo a ficar com a verdade.”

A Semana Santa que se aproxima é um convite a entrar na íntima experiência do Senhor que assume a Cruz com determinação, na certeza de que o Pai tudo acolhe e transforma.

A Cruz é expressão do amor de Deus pela humanidade. Ela é o sinal supremo do amor, é a resposta à necessidade que todo ser humano sente de ser amado.

Diante da Cruz – e a partir da Cruz – o ser humano é convidado a cultivar e promover a obra do discernimento, como exercício para formação da consciência. Isso requer o empenho de uma vida, na qual se aprende a cultivar os mesmos sentimentos de Cristo Jesus, assumindo os critérios das suas opções e da sua atividade (Fl 2,5).

Não existem receitas prontas! Certo é que diante das inúmeras possibilidades que o tempo oferece, é necessário “submeter os próprios fatores positivos a um atento discernimento, para que não se isolem uns dos outros, nem entrem em oposição entre si, absolutizando-se e combatendo-se mutuamente. O mesmo se diga dos fatores negativos: não são de rejeitar em bloco e sem distinções, porque em cada um deles pode ocultar-se algum valor que espera ser liberto e reconduzido à sua verdade plena” (Papa Francisco).

A Cruz diz quem é Deus. É expressão máxima de um gesto de salvação, gesto de amor sem reservas. Ela não é apenas um símbolo religioso; é também um protesto contra toda forma de injustiça e mostra que se pode viver em comunidade num espírito de reconciliação. Na Cruz e no Crucificado se pode descobrir que se salva quem compartilha a dor e se solidariza com o que sofre.

Em tempos complexos e complicados, em situações de incertezas e dúvidas, de radicalismos e polarizações é urgente resgatar a dimensão da Cruz e a necessidade de discernimento diante dos desafios que se impõem. De outro modo a tragédia pode encontrar lugar e o absurdo se impor.

O post Cruz Salvadora apareceu primeiro em CNBB.


Fonte: Noticias da CNBB

Rede Excelsior de Comunicação

Leve a rádio sempre com você
Baixe nosso aplicativo

Some description text for this item

receba novidades por email
Assine a nossa newsletter

Some description text for this item

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.