CNBB

Episcopado brasileiro avalia como positivo modelo de reunião online adotado na 58ª Assembleia Geral da CNBB

A 58ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), ocorrida de forma online de 12 a 16 de abril, foi avaliada, de modo geral, como positiva pelo episcopado brasileiro. O resultado foi divulgado e apresentado durante a reunião do Conselho Episcopal de Pastoral da CNBB, o Consep, ocorrida na quarta-feira, dia 26 de maio.

Uma equipe ficou encarregada de preparar a avaliação e aplicá-la de modo a mensurar a opinião dos participantes com relação a Assembleia. O bispo de Tubarão (SC) e presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da CNBB, dom João Francisco Salm, foi o responsável por coordenar essa atividade. A ferramenta adotada já havia sido usada nas votações realizadas durante o evento.

A avaliação consistia em um questionário que aborda vários aspectos da realização e organização da Assembleia, com perguntas objetivas e espaço para justificativas ou comentários. O grupo de avaliação recebeu 254 respostas do total de participantes do evento.

Segundo dom Salm, foi muito positiva essa primeira experiência de uma Assembleia Geral online. Ele explica que nos gráficos, o “ótimo” e o “bom” somaram, em quase todos os itens, algo próximo de 90%. “Consideraram que surpreendeu positivamente, que tudo funcionou bem, que atividades como as votações, foram um sucesso porque foram rápidas e práticas”, disse.

Ainda de acordo com dom Salm, houve sugestões para que as Assembleias Gerais se realizem alternadamente, entre as formas presencial e online, ou parte online e parte presencial.  “Além do bom funcionamento, outra vantagem é a redução de custos com viagens, hospedagem e preparação do local das atividades, e que entramos num novo tempo e precisamos nos atualizar sempre”.

Dom Salm conta ainda que a presidência da CNBB, os organizadores e a equipe técnica receberam muitos cumprimentos com parabéns e agradecimentos. “Foi observado também que esse formato não substitui a riqueza do presencial. Por isso, a sugestão de alternar entre as duas modalidades”, reiterou.

Ainda com base nas respostas dadas pelos participantes na avaliação, dom Salm salientou que a pandemia também teve influência direta na opinião dos bispos.  “Com a pandemia, que requer distanciamento e outras providências em vista da proteção contra o contágio, foi muito importante não precisar viajar, não aglomerar e, devido à crise financeira, não precisar fazer gastos. Mas, nota-se que o formato online foi uma descoberta que certamente não teríamos feito tão cedo se não fosse a circunstância em que nos encontramos”, disse.

Na avaliação, foi destaca,  segundo dom Salm, a coragem da presidência da CNBB em realizar a Assembleia de forma online, a organização e a rapidez e praticidade com que se realizaram as atividades. “Para alguns, a internet de que dispunham é insuficiente, o que dificultou um pouco a participação. De fato, a velocidade da internet é decisiva para uma boa participação de eventos online. Foram sugeridas alguns aperfeiçoamentos como no uso do chat para inscrições de quem gostaria de se manifestar e tempo para a participação de um maior número de interessados”, disse dom Salm.

A sistematização dos dados será encaminhada também aos membros do Conselho Permanente da CNBB.

 


Fonte: Noticias da CNBB

Artigos relacionados