CNBB

Viver intensamente o seguimento de Cristo!

Dom Eurico dos Santos Veloso
Arcebispo Emérito de Juiz de Fora (MG)

Iniciamos mais um novo tempo Comum, neste ano dedicado ao estudo do Evangelho de São Marcos. Esse tempo vai até a quarta-feira de cinzas, quando faremos uma pausa para a Quaresma e a Páscoa. A liturgia do 2º Domingo do Tempo Comum do tempo chamado B propõe-nos uma reflexão sobre a disponibilidade para acolher os desafios de Deus e para seguir Jesus.

A primeira leitura(1Sm 3,3-10.19) apresenta-nos a história do chamamento de Samuel. O autor desta reflexão deixa claro que o chamamento é sempre uma iniciativa de Deus, o qual vem ao encontro do homem e chama-o pelo nome. Ao homem é pedido que se coloque numa atitude de total disponibilidade para escutar a voz e os desafios de Deus. Samuel foi sacerdote, profeta e juiz, sendo uma das figuras mais expressivas do Antigo Testamento. Ainda jovem, é vocacionado para o serviço do Senhor. Depois de várias tentativas, poe-se à sua disposição: Fala, que teu servo escuta. A vocação pode ser vista como um processo: aos poucos a pessoa vai descobrindo a vontade de Deus a respeito da sua vida. É importante estarmos atentos aos apelos que Deus continuamente nos faz.

O Evangelho(Jo 1,35-42) descreve o encontro de Jesus com os seus primeiros discípulos. Quem é “discípulo” de Jesus? Quem pode integrar a comunidade de Jesus? Na perspectiva de João, o discípulo é aquele que é capaz de reconhecer no Cristo que passa o Messias libertador, que está disponível para seguir Jesus no caminho do amor e da entrega, que aceita o convite de Jesus para entrar na sua casa e para viver em comunhão com Ele, que é capaz de testemunhar Jesus e de anunciá-l’O aos outros irmãos. João Batista anuncia a chegada do Messias, o Cordeiro de Deus. Diante desse anúncio, alguns dos discípulos de João Batista passam a seguir Jesus. O testemunho e o convite desses seguidores atraem outros, dispostos a abandonar tudo para seguir o Mestre. O testemunho do cristão é fundamental para que outras pessoas se disponham a trilhar o mesmo caminho. É necessário sair de si mesmo e ir ver onde mora o Mestre, fazer experiência com ele e permanecer com Ele na missão.

Na segunda leitura(1Cor 6,13-15.17-20), São Paulo convida os cristãos de Corinto a viverem de forma coerente com o chamamento que Deus lhes fez. No batizado que vive em comunhão com Cristo deve manifestar-se sempre a vida nova de Deus. Aplicado ao domínio da vivência da sexualidade – um dos campos onde as falhas dos cristãos de Corinto eram mais notórias – isto significa que certas atitudes e hábitos desordenados devem ser totalmente banidos da vida do cristão. São Paulo alerta sobre o valor de cada pessoa humana. Fomos criados à imagem e semelhança de Deus e constituídos templos do Espírito Santo. O autor apresenta a beleza, a importância e o respeito que devemos ter para com o corpo humano, nosso e dos outros.

Vivamos, intensamente, neste ano o seguimento de Cristo como seus discípulos convidados a permanecer com o Senhor, conhecer a sua essência e fazer nossas as suas opções. A experiência profunda da escuta da Palavra de Deus leva o batizado a permanecer com o Mestre. Façamos esta experiência e santifiquemos os irmãos e a comunidade eclesial com nosso testemunho!

 

 


Fonte: Noticias da CNBB

Artigos relacionados