CNBB

Terço da Esperança e da Solidariedade: um marco de Fé durante a pandemia

Neste ano, os veículos de comunicação de inspiração Católica do Brasil se uniram a pedido da CNBB e da SIGNIS Brasil para a transmissão simultânea do programa “Terço da Esperança e da Solidariedade”. A iniciativa se originou com a “Convocação da Igreja no Brasil” em 18 março, diante do complexo quadro gerado pela pandemia do Covid-19, o novo coronavírus, onde a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em comunhão com o Papa Francisco, no compromisso de intensificar as orações naquele período, se uniu ao Brasil convocando a todos para um momento de oração com duração de 25 (vinte e cinco) minutos e em parceria com a SIGNIS Brasil, emissoras de televisão, rádio e portais on-line exibiram o conteúdo. Na ocasião, a presidência da CNBB, juntamente com religiosos e leigos convidados, rezaram o Terço da Esperança e da Solidariedade, em favor do fim da crise em torno da emergência de saúde pública do Covid-19.

Diante do cenário nacional e mundial, naquele momento, as altas nos índices de contaminação e vítimas deste mal; mobilizaram as emissoras de inspiração católicas a assumirem um compromisso semanal, com a CNBB e a SIGNIS Brasil, gerando e exibindo simultaneamente, semanalmente, uma nova edição do programa. Em acordo mútuo e a partir de março, ficou combinado que a cada semana uma nova emissora de TV arcaria com a produção, gravação, edição e disponibilização do programa; sendo o conteúdo distribuído pelas plataformas da SIGNIS Brasil e exibidos no formato “Pool” (transmissão no mesmo horário), pelas emissoras, todas as quartas-feiras, às 15h30, com duração de 30 (trinta) minutos. Sendo consolidado em reunião do Conselho Episcopal Pastoral (CONSEP) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em agosto, a intenção de manter as edições do programa até o fim do ano.

As emissoras, que durante este período de exibição, se dividiram nessas atividades foram: TV Evangelizar – Curitiba (PR), TV Aparecida – Aparecida (SP), TV Nazaré – Belém (PA), TV Imaculada – Campo Grande (MS),  TV Pai Eterno – Trindade (GO), TV Horizonte – Belo Horizonte (MG), TV Rede Século 21 – Valinhos (SP), TV Canção Nova – Cachoeira Paulista (SP), TV Rede Vida – São Paulo (SP) e Web Bom Jesus – Bom Jesus da Lapa (BA), unidas e exibindo a programação também em seus canais repetidores, afiliados, parceiros, canais a cabo e parabólica. A capilaridade do Terço da Esperança e da Solidariedade atingiu todo o Brasil, em sinal aberto, permitindo a toda população o acesso a este encontro semanal de oração, pedidos de cura e fim da crise mundial.

A primeira geração do programa foi realizada na sede matriz da CNBB, em Brasília, e as demais gerações pelas emissoras de TV, foram realizadas nos estúdios de cada canal e em Santuários locais, como:  a Catedral Basílica Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida em Aparecida (SP), Catedral Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré em Belém (PA), Catedral Basílica Nossa Senhora da Piedade em Belo Horizonte (MG), Santuário Basílica do Divino Pai Eterno em Trindade (Go), Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Abadia e Santo Antônio em Campo Grande (MS), Santuário Nossa Senhora de Guadalupe e Jesus das Santas Chagas em Curitiba (PR) e Santuário do Bom Jesus da Lapa e da Mãe da Soledade em Bom Jesus da Lapa (BA), entre outros.

Presididos por Arcebispos, Bispos e com participações de religiosos, religiosas e leigos, sempre respeitando as regras das normas sanitárias, em alguns meses receberam temáticas diferenciadas, como em agosto: abordando o Mês Vocacional (denominado como Terço Vocacional) e em outubro: abordando a Campanha Missionária 2020, em alguns programas, contaram ainda com participações de profissionais dos considerados serviços essenciais.

Promovendo uma proximidade do público com o ambiente religioso, considerando que durante vários meses em diferentes estados do país, as Igrejas e Santuários não puderam receber fiéis para as manifestações de fé, os quais viam nas transmissões do Terço da Esperança e da Solidariedade uma forma de manter sua proximidade com o ambiente religioso.

Destacam-se ainda as manifestações de fé e pedidos de apoio durante as exibições, o cuidado com a família, os mais necessitados e as principais causas sociais que pautadas, ajudaram a mobilizar e sensibilizar para a arrecadação de alimentos e itens de proteção ao COVID em doações em todo o Brasil, destinadas as Ações Sociais da Igreja Católica , em todas as regiões do país.

Além das emissoras de TV, o programa foi exibido pelas redes de rádios:  RCR – Rede Católica de rádios, Rede Aparecida de rádios, Rede Milícia da Imaculada, Rede Evangelizar de rádios e pelos canais on-line de todas as emissoras, a exemplo da própria CNBB que exibiu todos os episódios  através do seu canal de YouTube oficial.

O 42º e último episódio do Terço da Esperança e da Solidariedade acontecerá em 30 de dezembro e será gerado pela TV Evangelizar e exibido pelos canais que efetuam o “Pool” de transmissão, gerado no Santuário Nossa Senhora de Guadalupe e de Jesus das Santas Chagas, em Curitiba (PR), com a presidência de Dom José Antônio Peruzzo, Arcebispo de Curitiba e pelo Padre Reginaldo Manzotti – Reitor do Santuário, religiosas e leigos e com a presença de Geizom Sokacheski, coordenador de SIGNIS Brasil TV.

Com o passar dos meses, algumas emissoras de TV, por questões de grade de programação, não conseguiram permanecer na geração e transmissão do programa. Porém, a força da capilaridade dos canais nacionais de inspiração católica que permaneceram na exibição, somados,  conseguiram manter abrangência nacional.

 

“Preparar e partilhar uma produção como o Terço da Esperança e da Solidariedade foi de grande valia para nós da TV Imaculada. Estar em unidade com toda a Igreja e seus meios de comunicação, mostrando também um pouco do nosso trabalho, é uma experiência positiva e incentivadora. Gratidão pela oportunidade e que possamos avançar em projetos que unificam”. Nelson Henrique Silva Batistote – coordenação TV Imaculada.

“A iniciativa do Terço da Esperança e da Solidariedade foi importante como momento de oração em locais importantes da devoção do povo brasileiro. No contexto da pandemia, foi uma oração comum que realizamos por meio das TVs e rádios de inspiração católica. Fortaleceu também a comunhão de nossas mídias. Para nós, foi significativo levar a bênção do Divino Pai Eterno por meio deste momento de oração”. Ir. Diego Joaquim, CSSR – diretor executivo da TV Pai Eterno.

“É louvável a iniciativa da CNBB em rezar junto com o povo brasileiro, em parceria com as emissoras católicas, neste difícil momento da pandemia no Brasil e no mundo. A ação demonstra a comunhão da Igreja, em sua diversidade, e a sensibilidade para a oração que acalenta os corações. Nós, da TV Aparecida, nos sentimos muito felizes em estar em união com a CNBB e presentear o nosso público fiel com mais este programa oracional, exibido diretamente do altar central do Santuário Nacional de Aparecida, aqui da casa da Mãe, que é Rainha e Padroeira do Brasil, com a presença do nosso querido Arcebispo, Dom Orlando Brandes, em nome de toda a Igreja”. Irmão Alan Patrick Zuccherato – diretor de programação da TV Aparecida.

“Para a Rede Evangelizar de Televisão, foi realmente uma grande oportunidade poder, em parceria com as outras emissoras de inspiração católica, participar da produção, apresentação e especialmente do propósito e da intenção do Terço da Esperança e da Solidariedade. Tivemos um retorno significativo da audiência e uma participação muito grande, não só na transmissão canal aberto, como também nas redes sociais com uma expressiva interatividade. Uma honra para a Rede Evangelizar de Televisão ter participado de uma iniciativa tão importante da CNBB”. José de Melo – diretor de conteúdo da Rede Evangelizar de Televisão.

“O Terço da Esperança e da Solidariedade foi um momento de importante coesão entre os meios de comunicação católica, que se mostraram unidos diante do imenso desafio que a pandemia nos trouxe. Mostramos que nossa mensagem faz-se mais forte quando nos unimos. Assim, peço a Deus que renove sempre esse sentimento de fraternidade que construímos e que nossas emissoras sigam no caminho de uma sempre crescente unidade”. Padre Fernando Lopes – diretor da TV Horizonte.

 

Todas as semanas uma parceria entre SIGNIS Brasil e o setor de Comunicação Social da CNBB orientavam as emissoras sobre pautas, temas e demais sugestões para serem trabalhados nos programas, que por sua vez foram repassados às emissoras para as gerações e pretende-se criar novos formatos de trabalho similares como esse em 2021.

 

“Viver em Cristo, essa é uma das mais belas expressões e o mais belo projeto de vida para uma pessoa humana, viver Nele, com Ele e por Ele.

A cada dia vamos ajustando melhor nossa vida para viver em Cristo.

Esse ano, tão ruim sobre muitos aspectos, especialmente para os mais pobres, por causa da pandemia do novo coronavírus e a pandemia do egoísmo, da irresponsabilidade do governo do nosso país; do desemprego, da miséria e da fome.

O foi feito, o que aconteceu?

O povo de Deus se agarrou a vida de oração mais intensa, pela recita do Terço da Esperança e da Solidariedade, que exibido pelas emissoras no Brasil com participação de vários Bispos, sentimo-nos fortes com a terna companhia de Maria.

O último episódio será agora dia 30, participe; adiante para continuar vivendo em Cristo, acompanhe e buscaremos novas formas de oração em comum a partir da reflexão e leitura da palavra de Deus”. Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães – presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB.

 

O trabalho de articulação nacional que SIGNIS Brasil executa por meio do setor televisão e suas gerações, tem papel fundamental justamente na união das emissoras e nas exibições conjuntas. Em dez anos de trabalho à frente do setor atingimos grandes conquistas que nos diferenciam muito das demais emissoras de TV no Brasil e no mundo, pois, frequentemente, os canais se unem e exibem simultaneamente o mesmo conteúdo e/ou se apoiam para a geração de novas produções. No entanto, neste ano de 2020, a transmissão do Terço das Esperança e da Solidariedade foi um novo marco da história das tevês de inspiração católica no Brasil, pois foi um compromisso fixo, uma grade semanal de exibição que durou dez meses e a motivação às emissoras foi o compromisso de cada uma delas, em seus diferentes carismas, com a fé, a esperança e a solidariedade, não só dos seus telespectadores, mas com o país, com o mundo e com a Igreja Católica.

“Conscientes de que as restrições ao convívio não durarão para sempre, aprendamos, a valorizar a fraternidade, tornando-nos ainda mais desejosos de, passada a pandemia, podermos estar juntos, celebrando a vida, a saúde, a concórdia e a paz” (trecho da nota “Tempos de Esperança e Solidariedade” da CNBB 2020).

 

Geizom Sokacheski – Coordenador setor TV – SIGNIS Brasil.


Fonte: Noticias da CNBB

Artigos relacionados