CNBB

CNBB realiza reunião com o júri técnico reformulado dos Prêmios de Comunicação da CNBB

A Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realizou na manhã desta sexta-feira, 11 de dezembro, uma reunião com representantes do júri técnico da 53ª edição dos Prêmios de Comunicação da CNBB. Segundo o edital dos prêmios, lançado dia 4 de dezembro, dois júris, um técnico e um pastoral, farão a seleção dos prêmios. O objetivo da reunião foi contextualizar o júri técnico reformulado sobre as mudanças, papeis e prazos da premiação.

A reunião começou inspirada pela Oração do Criador presente na Encíclica Fratelli Tutti. O bispo de Oeiras (PI) e membro da Comissão para a Comunicação da CNBB, dom Edilson Soares Nobre entoou os versos da oração que pede abertura de coração para estabelecer laços de unidade e esperança entre a humanidade. O bispo representa a Comissão de Comunicação da CNBB na coordenação dos prêmios.

Dom Edilson falou do esforço que a CNBB está fazendo em aprimorar a premiação como forma de reconhecer importantes iniciativas na comunicação brasileira. Ele reforçou que a coordenação dos prêmios sentiu a necessidade de fazer a reunião com os membros do júri técnico como forma de estabelecer laços e humanizar as relações para que o trabalho não seja apenas um serviço frio e técnico.

Garimpeiros de valores

“Agradecer é o mínimo que podemos fazer a vocês que representam várias universidades brasileiras no júri técnico do prêmio”, disse o bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG) e presidente da Comissão de Comunicação da CNBB, dom Joaquim Giovani Moll, no início da reunião em acolhida ao grupo. Dom Mol destacou o processo de renovação pelo qual passa os prêmios de comunicação, incluindo uma nova configuração do júri técnico.

Dom Moll falou também do trabalho que vem desenvolvendo à frente da presidência da Comissão da CNBB, destacando algumas iniciativas, entre elas a recente criação do Observatório da Comunicação no Brasil, no âmbito da Conferência de Religiosos do Brasil, e do plano estratégico de comunicação da CNBB. O bispo enalteceu a importância da CNBB e de sua abertura dialógica, bem como ressaltou o caminho que a Igreja no Brasil vem fazendo de estar em sintonia com o Papa Francisco e ser uma Igreja em saída. Neste contexto, dom Mol destacou o prêmio como uma destas pontes de diálogo com a sociedade.

Dom Moll atualizou junto ao júri as marcas recentes do magistério do Papa Francisco (novo humanismo, ecologia integral, cuidado com os pobres, cultura do encontro, Fratelli Tutti). O presidente da Comissão de Comunicação falou sobre três âmbitos (pessoa, sociedade e planeta) e também os três valores reforçados pelo Papa Francisco: as virtudes e os valores teologais, a esperança e a experiência do amor como caridade. “Como que tudo isto é traduzido em pesquisa, cinema, projetos de comunicação pastoral, jornalismo e rádio?”, perguntou dom Mol. O bispo disse que os jurados serão garimpeiros destes valores na seleção dos prêmios.

O coordenador dos prêmios de Comunicação da CNBB, Rafael Alberto Alves dos Santos,  destacou ao acolher os novos membros que integram o júri, que em 2020, em função da pandemia, foi a primeira vez que a CNBB adiou a entrega dos prêmios. “O esforço desta 53ª edição será reunir os trabalhos dos últimos dois anos numa premiação prevista para outubro de 2021”, disse. Ele também contextualizou as mudanças recentes pelas quais passou o prêmio, como a reformulação e lançamento do novo edital, dia 4 de dezembro, nova logomarca e site. 

O coordenador dos prêmios explicou ao júri técnico o processo de inscrição e cronograma de seleção dos prêmio. “O prêmio é a expressão mais eloquente da vontade da CNBB e da Igreja em promover o diálogo com a sociedade”, disse Rafael. Ele falou também do protagonismo das universidades em organizar, junto ao seu corpo técnico, o processo de seleção dos inscritos com a supervisão da coordenação nacional do prêmio. 

Na organização do trabalho para seleção das categorias, a PUC Minas cuidará da categoria de cinema, a Rede Católica de Rádios com a categoria rádio, a PUC Goiás da categoria TV, a Universidade Católica de Brasília com a categoria Imprensa, a Católica de Salvador com a categoria Internet, a Faculdade Paulos de Tecnologia e Comunicação com a categoria Pascom e PUC São Paulo com as premiações de teses e pesquisas.

Participaram da reunião o dom Joaquim Giovani Moll, presidente da Comissão para a Comunicação da CNBB, dom Edilson Soares Nobre, o diretor da faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação, padre Antônio Iraildo Alves Brito, padre Tiago Silva e Manuela Castro, assessores na Comissão de Comunicação da CNBB, o professor Francisco Borba, coordenador do Núcleo Fé e Cultura da PUC SP, representando a PUC na reunião, os professores Vitor Laus e Robson,  da faculdade de Comunicação da Universidade Católica de Brasília e o diretor da faculdade de Comunicação e Artes da PUC Minas, Mozair Bruck e Marcello Raimundo Chamuska Pimentel, da PUC de Salvador (BA).

Saiba mais:

53ª Edição dos Prêmios de Comunicação da CNBB (2019-2020) vai contar com duas novas categorias de premiação | CNBB


Fonte: Noticias da CNBB

Artigos relacionados