CNBB

Disponível o texto da meditação do cardeal José Tolentino de Mendonça apresentado aos bispos do Brasil

Está disponível para download o texto da meditação apresentada pelo cardeal José Tolentino de Mendonça aos bispos do Brasil, na manhã de ontem, 26 de novembro, quando a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promoveu um encontro virtual. Sua reflexão foi intitulada “Parábolas para um tempo novo” e partiu “da pausa reflexiva que Jesus faz em seu discurso”, considerando o contexto da pandemia que o mundo enfrenta na atualidade, “a dureza, a dificuldade, o pesado e sofrido o caminho que o povo de Deus está fazendo nessa hora”.

Dom José Tolentino de Mendonça é um cardeal português e é o arquivista do Arquivo Apostólico do Vaticano e bibliotecário da Biblioteca Apostólica Vaticana. 

A pausa citada por dom Tolentino em sua meditação é um tipo de comunicação que Jesus utiliza algumas vezes nos Evangelhos, “como que precisasse escutar melhor, ajustar o discurso à realidade”. O cardeal então toma do capítulo 13 do Evangelho de São Lucas o versículo 18: “’A que é semelhante o Reino de Deus, e com que poderei compará-lo?’”.

Esta pergunta de Jesus é retomada durante toda a meditação, que também refletiu sobre que parábolas e comparações podem hoje aproximar o Reino de Deus da nossa linguagem e da nossa experiência vital.

“Que tempo é este que estamos a viver? A que o havemos de comparar? Podemos, efetivamente, olhar apenas para o assédio devastador desta crise que começa por ser sanitária, mas que depressa contaminou tantos outros âmbitos, tornando-se uma crise poliédrica: económica, social, política, eclesial, civilizacional. Ou podemos perceber, numa leitura crente e esperançada da história como o faz Deus incansavelmente, que esta hora, com todos os seus constrangimentos é afinal um kairós, uma oportunidade para relançar a nossa aliança com a vida”, refletiu o cardeal Tolentino de Mendonça.

Este tempo de pandemia, segundo dom José Tolentino, “não é só uma estação para gerir aflições crescentes: é também a ocasião em que Deus nos ordena que arrisquemos como Igreja e que compremos um campo novo”.

Confira o texto na íntegra:


Fonte: Noticias da CNBB

Artigos relacionados