CNBB

Novo diretor do Centro Cultural Missionário é apresentado em missa em Brasília, nesta sexta, 23 de outubro

O bispo auxiliar do Rio de Janeiro e secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Joel Portella Amado, presidiu hoje, 23 de outubro, às 11h, em Brasília (DF), a celebração de posse do novo diretor do Centro Cultural Missionário (CCM), o padre Djalma Antônio da Silva, missionário da congregação do Verbo Divino (Societas Verbi Divini, SVD). Assessores da CNBB, religiosos e leigos que atuam no CCM participaram da celebração.

“Depois de conversar com minha congregação, rezar e discernir eu abracei o convite para vir à Brasília assumir o Centro Missionário da CNBB”, disse ele. Para assumir esta nova missão, ele disse ter se inspirado numa fala de São José Freinademetz, missionário de sua congregação na China: “o melhor lugar do mundo é aquele onde Deus me quer”.

Durante a homilia, dom Joel, que também preside o CCM, reforçou a importância do centro enquanto irradiador da missão na Igreja. “Abrir as portas para mais um irmão significa reconhecer que Deus não abandona a sua Igreja no exercício da ação evangelizadora, no perfil missionário, em momento algum. O coração missionário de padre Djalma acolheu o convite de dom Odelir, presidente da Comissão Missionária da CNBB, para que viesse somar aqui conosco”, disse.

Frente aos muitos desafios, o padre Djalma mostra-se aberto a caminhar. “Vou somar ao trabalho da CNBB e procurar por em prática as suas orientações e manter a identidade missionária do CCM, espaço tão importante para formação de missionários da Igreja no Brasil e de outros países”, disse.

Trajetória e formação

Padre Djalma é natural de Três Rios (MG), onde iniciou, desde criança, sua relação com a Igreja Católica, participando das paróquias São Sebastião e São José. Entrou para o seminário da congregação do Verbo Divino em Belo Horizonte (MG) onde concluiu seu segundo grau.

Iniciou seus estudos em filosofia no Instituto Brasileiro de Desenvolvimento (Ibrades), um centro de formação da congregação dos Jesuítas, no Rio de Janeiro. Na cidade também cursou algumas disciplinas no mosteiro de São Bento. Seu curso de filosofia foi concluído na PUC Minas.

Seu noviciado foi feito em Miracatu, na diocese de Registro (SP), de onde seguiu para a capital, São Paulo, para cursar Teologia no Instituto Teológico de São Paulo. Fez os votos perpétuos e foi ordenado padre em Três Rios (MG). Na sequência foi enviado para Bruxelas, Bélgica, para estudar francês, onde permaneceu por mais de 1 ano.

Foi enviado como missionário para a República Democrática do Congo, antigo Zaire, na cidade de Bandundu,  onde aprendeu a língua Quicongo. Assumiu a paróquia de São Pedro, na cidade de Quikuic, onde trabalhou como pároco. Também atuou na região de Massamuna, na paróquia de Santa Terezinha.

De volta ao Brasil, em 1993, foi enviado para a paróquia Cristo Redentor, no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, onde ficou por 1 ano. Foi enviado para Juiz de Fora (MG) para trabalhar no Centro Missionário de sua congregação, na procuradoria das missões. Também trabalhou no Conselho Missionário da arquidiocese de Juiz de Fora e nos conselhos missionários paroquiais, onde implantou a Infância Missionária.

Foi nomeado, no início de 2002, provincial de sua congregação, mudando-se para Belo Horizonte (MG). Exerceu a função até janeiro de 2011. Depois desta experiência passou um período na Inglaterra para aperfeiçoar a língua inglesa. Lá atuou com migrantes de língua portuguesa, especialmente com brasileiros, moçambicanos e angolanos. Também morou na Áustria e na Alemanha.

De volta ao Brasil, atuou no Vale do Jequitinhonha (MG), na cidade de Carlos Chagas, na diocese de Teófilo Otoni, onde permaneceu até 2015. No ano seguinte, foi enviado novamente para a paróquia em Laranjeiras, no Rio de Janeiro, onde trabalhou por três anos. No início de 2019, foi destinado como pároco de São Sebastião, na cidade de Barra Mansa, na diocese de Barra do Piraí (RJ).

O padre tem mestrado em Ciências Sociais pela USP e doutorado pela PUC de São Paulo, com aprofundamento  em antropologia cultural e social.

Centro Cultural Missionário

 

O CCM é uma filial vinculada à CNBB e tem por finalidade oferecer um percurso de iniciação à missão no Brasil para missionárias e missionários que chegam do exterior.

Também promove cursos de formação missionária para brasileiras e brasileiros enviados a outra região ou país como missionários além-fronteiras. E seu papel também realizar eventos de estudo e aprofundamento sobre teologia, espiritualidade e prática de missão para diversos segmentos eclesiais e fomentar o surgimento e a capacitação específica de animadores missionários na Igreja no Brasil. 

O post Novo diretor do Centro Cultural Missionário é apresentado em missa em Brasília, nesta sexta, 23 de outubro apareceu primeiro em CNBB.


Fonte: Noticias da CNBB

Artigos relacionados