CNBB

Para a globalização da solidariedade, a “Igreja aposta na Família”, afirma dom Walmor durante live

“A solidariedade globalizada tem que ser uma meta e um compromisso educativo de todos nós e a família é essa escola primeira e insubstituível”. A frase é do arcebispo de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, que foi o convidado na live de encerramento da Semana Nacional da Vida e Dia do Nascituro, promovida pela Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, por meio da Comissão Nacional da Pastoral Familiar (CNPF), nesta quinta-feira, 8 de outubro.

Para dom Walmor, a base familiar experiencial de fé não se perde, ela acompanha as pessoas aonde quer que elas forem. Daí, a solidariedade que se aprende em casa pode ser enraizada no tecido da sociedade. “Por isso que a nossa Igreja aposta na Família, porque, sem a família, nós perderíamos a singularidade da nossa capilaridade. Temos as dioceses, as paróquias, mas a teia maior [da capilaridade da Igreja] é cada família cristã e cada casa”.

No Dia do Nascituro, que encerra as atividades da Semana Nacional da Vida, iniciada no dia 1º de outubro, dom Walmor abordou o Pacto pela Vida e pelo Brasil em conversa com o membros da Comissão Vida e Família da CNBB.

Saiba mais:

“O evangelho se desdobra no compromisso com a vida”, ressalta presidente da CNBB

 

Artigos relacionados