CNBB

Entidades e movimentos populares promovem ações em vista do Grito dos Excluídos

Neste dia 7 de agosto, eventos e iniciativas marcam o segundo dia D do Grito. Pelo Brasil, entidades e movimentos populares promovem ações em vista da divulgação e preparação para o Grito dos Excluídos, comemorado no dia 7 de setembro. Neste ano, o tema permanente “Vida em Primeiro Lugar” é proposto junto com o lema: “Basta de Miséria, Preconceito e Repressão! Queremos TERRA, TRABALHO, TETO e PARTICIPAÇÃO!”.

No vídeo, abaixo, dom Mario Antônio da Silva, bispo de Roraima e segundo vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), fala sobre o Dia D do Grito:

 

Segundo Ari Alberti, da secretaria nacional do Grito, o tema e lema deste ano se articulam com a Campanha da Fraternidade 2020 e com a 6º Semana Social Brasileira, promovida pela Comissão para a Ação SocioTranformadora da CNBB. “Nesse ano estamos discutindo muito a questão da saúde, inclusive a questão da emenda constitucional que congela os gastos do governo com a saúde e a educação por 20 anos”, comenta Ari.

Ainda de acordo com ele, apesar de existir um tema e lema específico, cada local pode a partir de suas realidades incluir os seus gritos específicos e levá-los para as ruas, para que estes possam ser transformados em pautas de reivindicação junto aos poderes locais. “A exclusão não é uma questão específica de setembro, ela é resultado de um sistema que exclui, que degrada e que mata, conforme o Papa tem afirmado várias vezes”, disse Ari.

A Patrícia Cabral, articuladora do Grito em Manaus, disse que desde ontem, dia 6 de agosto, grupos locais têm organizado ações por lá. Um deles participou de uma audiência na Assembleia Legislativa sobre a CPI da Saúde. “Algumas lideranças das Pastorais Sociais e o Grito pela Vida e o pessoal do Fórum das Águas foram nos representar nesse ato”, contou. Depois, uma carta foi protocolada e entregue aos deputados, com o objetivo de falar sobre a continuidade da CPI e da investigação.

Já nesta sexta-feira, 7 de agosto, Patrícia contou que um outro grupo estará reunido na Praça da Matriz, com faixas e cartazes, e um outro em uma das avenidas principais, para fazer uma espécie de protesto e exigir melhorias para a saúde e demais situações locais. “É dessa maneira que preparamos o dia D, de agosto, e hoje à noite ainda temos uma live que vai tratar sobre a água e o saneamento básico, uma vez que essas duas coisas também estão ligadas à saúde”, explicou Patrícia. A live poderá ser acompanhada, segundo ela, na página do Fórum das Águas.

 O Grito dos Excluídos

O Grito dos Excluídos foi idealizado inicialmente pela CNBB, em 1995, através das pastorais sociais. “Ele nasceu e é um grande espaço de articulação entre Pastorais, Movimentos Sociais, Igreja e Movimentos Populares. Outra importância que eu vejo no Grito é que ele contribuiu ao longo desses anos para uma mudança cultural na forma de se comemorar a Semana da Pátria, e que hoje é vista pelos movimentos pastorais, pelas organizações sociais como um horizonte de luta. E a gente tem conseguido fazer isso nesse período”, afirma Ari, da secretaria nacional do Grito.

No vídeo, abaixo, dom Valdeci dos Santos, bispo de Brejo (MA) e presidente da Comissão para Ação SocioTransformadora da CNBB, fala sobre a importância do Grito dos Excluídos:

 

 

O post Entidades e movimentos populares promovem ações em vista do Grito dos Excluídos apareceu primeiro em CNBB.


Fonte: Noticias da CNBB

Artigos relacionados