CNBB

Alegria do anúncio da Palavra

Dom Adelar Baruffi
Bispo de Cruz Alta

 

            Muitas vezes me perguntei sobre as motivações de tantos, homens, mulheres, jovens e idosos, que são missionários e missionárias e, com muita alegria, vão ao encontro das pessoas para anunciar-lhes a Palavra de Deus. O que eles têm de especial? Nos Atos dos Apóstolos vemos os discípulos de Jesus que foram tomados pelo Espírito Santo e saíram para anunciar. A abertura à ação do Espírito Santo, que fez que eles acolhessem esta “boa nova”, que lhes deu um novo sentido para a vida foi fundamental. Anunciamos, todos nós os missionários, não somente porque fizemos um curso, o que normalmente é bom, mas por uma razão muito pessoal, por tudo o que a Palavra, e aquele que ela torna presente, nos significa. Portanto, neste mundo sedento de sentido, anunciamos porque encontramos um “belo” na Palavra. Ela tem um “rosto”, Jesus Cristo, um “projeto”, o Reino de Deus, “valores”, a vida aqui e, depois, a vida eterna. É belo semear o evangelho sempre, independente das circunstâncias, em cada ambiente, a todas as pessoas e idades.

            Numa oportunidade, numa visita pastoral, ao falar da importância da missão, uma senhora analfabeta levantou o braço e disse: “Eu não posso ser missionária, pois eu não sei ler”. Não, eu disse, a senhora leva sua alegria de ser cristã e acompanha outra pessoa que sabe ler. O que significa para minha vida o ser cristão? Está tudo aí. Não somos mais perfeitos e nem mais santos, mas depositários de um dom extraordinário, que não podemos reter para nós. A beleza está no dom recebido e, também, na possibilidade de transmiti-lo. Esta unção espiritual sabe preparar e preparar-se. Se expressa na alegria de ir. Encontra-se no modo de olhar, no jeito de pronunciar as palavras, no como se direciona para as pessoas, sobretudo as mais sofredoras. A postura pessoal, a motivação interior, é o mais importante. Sempre deixa a liberdade. Quem anuncia o evangelho está feliz pela própria possibilidade de anunciar. Quem anuncia renova em si a certeza do que um dia transformou sua vida!

            Com isto não quero dizer que o conteúdo não seja importante. É muito importante o anúncio da verdade fundamental de nossa fé: o Crucificado-Ressuscitado, nosso Salvador, vivo em nossa vida. Sempre a evangelização contempla os três dados fundamentais: o belo, o que entusiasma; o verdadeiro, que seja razoável para a vida das pessoas e o bem, que aponta um agir coerente.

            O resultado não é o mais importante. O semeador sai a semear. Crê que algumas sementes irão germinar e produzir frutos. Sabe que as resistências são muitas, especialmente no nosso tempo. Mas isto não é motivo de desânimo. Não trabalha com planejamentos e números para colher. O que move o semeador é o “crer” que aquela Palavra irá chegar na vida das pessoas e das comunidades. Ele permanece livre, pronto para ir sempre. Crê firmemente que ela tem uma potencialidade própria, pois quando Deus diz, acontece: “Faça-se a luz. E a luz se fez” (Gn 1,3). Este é o testemunho de Isaías: “Como a chuva e a neve descem dos céus e não retornam para eles sem regarem a terra e fazerem-na brotar e florescer, a fim de que ela produza sementes para o semeador e pão para os que dele se alimentam, assim também acontece com a Palavra que sai da minha boca, ela não voltará para mim vazia, mas realizará toda a obra que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei” (Is 55,10-11). Não existe paróquia ou lugar árido ou difícil. Onde existe um coração humano, é lugar do anúncio alegre, com o coração apaixonado e criativo, para que a todos chegue o amor de Deus, sua salvação e sua misericórdia.

 

O post Alegria do anúncio da Palavra apareceu primeiro em CNBB.


Fonte: Noticias da CNBB

Artigos relacionados