CNBB

Vinte e quatro horas para o Senhor

Dom Eurico dos Santos Veloso
Arcebispo Emérito de Juiz de Fora (MG)

Estar com Jesus e na sua presença é algo digno e ímpar para aqueles que queiram vivenciar intensamente o momento de recolhimento, reconciliação e conversão em suas vidas. Afinal, ESTAR com o Cristo, nos sacramentos da confissão e eucaristia, e na adoração ao Eucarístico é perpassar por todas aquelas passagens bíblicas onde ocorreram, verdadeiramente, ENCONTROS de AMOR, PERDÃO, RECONCILIAÇÃO e MISERICÓRDIA.

Para este ano, o Santo Padre, o Papa Francisco nos convida a vivenciar este tempo penitencial e de graça com o seguinte tema: “Os teus pecados estão perdoados” (Lc 7, 48), trecho este do diálogo de Jesus com a mulher pecadora. Ora, um dos encontros mais marcantes retratados nos textos bíblicos, onde o Cristo não condena a “pecadora”, mas a ama mais, pois afinal “os muitos pecados dela lhe foram perdoados, pelo que ela amou muito” (Lc 7, 47).

Compreender este “amar muito” significa em “rasgar-se” o seu SER em Cristo, expressando a sua fé sem medo de mostrar quem tu és, afinal, a fonte de água viva que sacia toda a nossa sede. afinal é o Cristo que não mede esforço em se aproximar de nós a fim de RECONCILIAÇÃO e AMOR.

Com a pandemia do Coronavírus o evento VINTE QUATRO HORAS PARA O SENHOR deverá ser vivenciado de maneira pessoal, como um grande retiro, de oração, colocando-nos na presença de Deus, com a récita do rosário, a récita da Liturgia das Horas, a própria Adoração ao Santíssimo Sacramento, de maneira individual, ou mesmo a “lectio divina!”. Coloquemos as intenções de todos os doentes. Rezemos pelos idosos, que como nós, somos a população de risco neste momento de reflexão e de retiro. Cuidemos uns dos outros, particularmente, na oração.

Na audiência geral da Quarta-Feira de cinzas, no início da Quaresma deste ano, ainda bem antes da gravidade da pandemia do Coronavirus, o Papa Francisco disse que a Quaresma é “Tempo para desligar a televisão e o telemóvel(celular) e

dar um espaço à Palavra(de Deus)”. Muitas pessoas tem dificuldades, neste tempo de quarentena, de silêncio. Nesse sentido o Papa Francisco disse da importância do deserto: “O deserto é o lugar em que se toma distância do barulho que nos circunda. É ausência de palavras para dar espaço a outra Palavra, a Palavra de Deus, que acaricia o nosso coração como a brisa suave. O deserto é o lugar da Palavra, com letra maiúscula. Na Bíblia, o Senhor gosta de conversar conosco no deserto. No deserto, ele entrega a Moisés as “dez palavras”, os dez mandamentos. E quando o povo se afasta Dele, tornando-se como uma noiva infiel, Deus diz: «Vou levá-la ao deserto e conquistar seu coração. Lá me responderá, como nos dias de sua juventude». No deserto, se ouve a Palavra de Deus, que é como um som suave.” (https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2020-02/papa-francisco-audiencia-geral-quaresma-lugar-deserto.html, último acesso em 18 de março de 2020).

Sobre desligar a televisão e o celular, com propriedade, ensina o Papa Francisco que: “A Quaresma é o tempo propício para abrir espaço à Palavra de Deus. É o tempo para desligar a televisão e abrir a Bíblia. É o tempo para se desligar do telefone celular e se conectar com o Evangelho. É o tempo de renunciar a palavras inúteis, conversinhas, fofocas, mexericos e se aproximar do Senhor. É o tempo de se dedicar a uma ecologia saudável do coração, fazer uma limpeza nele. Vivemos num ambiente poluído por muita violência verbal, por muitas palavras ofensivas e nocivas, que a rede amplifica.” (https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2020-02/papa-francisco-audiencia-geral-quaresma-lugar-deserto.html, último acesso em 18 de março de 2020).

O Pontifício Conselho para a Nova Evangelização pede que todos os católicos: “Todavia, pedimos aos fiéis que mantenham o caráter penitencial das 24 Horas para o Senhor, por exemplo, meditando e rezando diante do Crucifixo. A todos os fiéis, inclusive aqueles que podem celebrar as “24 Horas para o Senhor, pedimos que rezem pelo Santo Padre, pelos Bispos, Sacerdotes e por todos

aqueles que, na sociedade, devem enfrentar esta situação”, lê-se na nota do Pontifício Conselho.

Dentro de nossas instituições de saúde queremos encorajar a todos os médicos, enfermeiros, administradores hospitalares e colaboradores a viverem os dias 20 e 21 de março, em espírito de grande retiro, de recolhimento, rezando pelos doentes infectados pelo Coronavirus e para que os cientistas desenvolvam, com agilidade, um remédio para a cura dessa doença. Esse é o nosso pedido! Essa é a nossa oração silenciosa diante do Senhor!

As VINTE QUATRO HORAS PARA O SENHOR é este momento de vivenciar, sem medida, a misericórdia com Deus. O que nos incentiva em colocar-nos no lugar da pecadora, sem medo de ir ao encontro da reconciliação, confiando, fielmente na fé em Jesus Cristo para o alcance da conversão e da alegria eterna.

Saudações em Cristo!

 

O post Vinte e quatro horas para o Senhor apareceu primeiro em CNBB.


Fonte: Noticias da CNBB

Artigos relacionados