CNBB

Pontifícias Obras Missionárias lança aplicativo para mapear missionários do Brasil

Quem são os missionários e missionárias do Brasil que estão espalhados pelo mundo realizando experiências de missão Ad Gentes?  Esta pergunta pode ser respondida com a ajuda das novas tecnologias. As Pontifícias Obras Missionárias lançam oficialmente hoje, 19 de março, às 11h, em live na sua página do facebook (POMBrasil1), o Aplicativo Missionário Ad Gentes, ferramenta criada para conhecer, visibilizar e interagir com a rede de missionários espalhada pelos cinco continentes.

Padre Maurício, diretor das POM, coordenador do projeto. Fotos: Comunicação POM

A frente deste projeto, padre Maurício Jardim, diretor das Pontifícias Obras Missionárias, lembra que a inciativa nasceu da prioridade apontada no Programa Missionário Nacional (2019-2023), cuja ação é a criação de um aplicativo que facilite a interação dos missionários e missionárias e instituições que enviam missionários.

“As novas tecnologias hoje nos possibilitam essa interação com missionários que estão atuando em projetos nos cinco continentes, na intenção de criar pontes de solidariedade e fraternidade. Papa Francisco fala da cultura da proximidade, em não criar muros, mas se fazer próximo das pessoas que mais necessitam. Os brasileiros e brasileiras que atuam nesta missão são o testemunho desta presença nos lugares mais necessitados”, destacou padre Maurício.

A expressão Ad Gentes pode ser definida através das palavras de Jesus: “Ide e fazei discípulos todos os povos” (Mt 28,19). Ser missionário Ad Gentes é estar inserido no contexto sociocultural dos povos, pela presença e testemunho do serviço, do diálogo acolhedor e respeitoso e do anúncio da fé em Jesus Cristo. É a missão na casa do outro, compreendida como cooperação missionária.

É importante lembrar que o conceito da Missão Ad Gentes está experimentando mudanças de paradigmas. Há um esforço de corrigir e repensar o paradigma da Missio Ad Gentes e ampliá-lo com a modalidade Inter Gentes, ou seja, uma missão que valorize e dialogue com as culturas.

Sobre o Aplicativo

Com acesso totalmente gratuito, o Aplicativo oferece duas possibilidades de perfil aos usuários. A primeira possibilidade é para quem está em missão além-fronteiras ou já viveu uma experiência missionária, sendo cristão leigo e leiga, consagrado e consagrada ou ministro ordenado. Ao se cadastrar, e ter seu perfil validado pelas POM, o usuário pode relatar suas experiências de missão, postando fotos e textos no feed. O Aplicativo oferece o serviço de geolocalização, indicando os locais em que são realizados projetos missionários em todo o mundo.

A segunda possibilidade de perfil é para aqueles que não viveram uma experiência de missão e que desejam conhecer e interagir com os missionários e missionárias Ad Gentes. Nesta opção, o usuário faz seu cadastro como visitante, tendo visibilidade e possibilidade de interação com todos os missionários cadastrados.

Sobre as POM

As Pontifícias Obras Missionárias (POM) cumprindo seu objetivo de “promover o espírito missionário universal no seio do povo de Deus”, assumiu esta responsabilidade de criar e administrar o aplicativo. As POM são uma rede universal que apoia o Papa no seu compromisso missionário com todas as Igrejas locais, mediante a oração, alma da missão, e a caridade com os cristãos espalhados pelo mundo inteiro.

As POM, servindo-se aqui no Brasil dos conselhos missionários em nível nacional, regional, diocesano e paroquial contribuem com as Igrejas locais para despertar a consciência missionária Ad Gentes através da Pontifícia Obra da Infância e Adolescência Missionária, Pontifícia Obra da Propagação da Fé e Pontifícia União Missionária.

Baixe agora

O Aplicativo Missionário Ad Gentes está disponível no Google Play e App Store, acessando o link direto.

Os apoiadores desta ferramenta são Cresol, Curia on line, Servo Fiel Tecnologia e Sou Dizimista.

Com informações das Pontifícias Obras Missionárias do Brasil

O post Pontifícias Obras Missionárias lança aplicativo para mapear missionários do Brasil apareceu primeiro em CNBB.


Fonte: Noticias da CNBB

Artigos relacionados