CNBB

Em Cristo todos os povos se encontram e confraternizam

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz
Bispo de Campos

 

A plenitude do mistério natalino do nascimento de Jesus, o Deus Conosco, é celebrada na Solenidade da Epifania, isto é, da revelação do Salvador para todas as Nações e povos da Terra. O Deus Amor, através de Cristo, chama para o banquete da reunião de toda a família humana, superando fronteiras e barreiras de todo tipo, para a gestação de uma nova humanidade fraterna e reconciliada.

Por outra parte, este chamado reconhece, na vocação humana, uma busca transcendente de comunhão e diálogo, pois a verdade e o amor sempre caminham juntos, como explicitação deste encontro temos o itinerário e a experiência dos sábios ou Reis magos. A estrela que os guiou para a fé, a revelação e as suas múltiplas mediações, os colocaram no caminho certo e foram confirmados pela própria Palavra, achando o Menino Deus procurado.

A alegria inusitada e inefável do encontro com o Salvador criança, os levou ao louvor e adoração. A partilha dos três presentes: ouro, incenso e mirra, além da doação e reconhecimento, têm um valor simbólico que identifica a missão do recém nascido: o ouro, realeza; o incenso, divindade e a mirra, o sacrifício da Cruz. Também, hoje, significam para os seguidores de Cristo: a caridade, o ouro; a oração fiel, o incenso e o compromisso de dar a vida, a mirra.

O encontro os transformou radicalmente, pois não só alcançaram o que procuravam, mas tiveram outro olhar, outro sentido para suas vidas, refazendo o caminho ou deixando o caminho de Herodes, ou da religião do poder, para tornar-se em missionários do amor, testemunhas do Deus revelado na ternura e inocência de um Menino. A Igreja vive para atualizar e manifestar a Presença misericordiosa e libertadora desta criança divina para que todos os povos se tornem irmãos. Deus seja louvado!

O post Em Cristo todos os povos se encontram e confraternizam apareceu primeiro em CNBB.


Fonte: Noticias da CNBB

Artigos relacionados