Arquidiocese de Salvador

Em carta enviada ao clero, Cardeal Dom Sergio da Rocha orienta sobre o agravamento da pandemia

Caro irmão Padre diocesano ou religioso, caro irmão Diácono da Arquidiocese de São Salvador da Bahia.

Paz e esperança, no Senhor!

Infelizmente, estamos numa fase de agravamento da pandemia, como tem sido amplamente divulgado pela mídia, atingindo duramente Salvador e o estado da Bahia. Há uma semana, divulgamos um Comunicado sobre o Decreto do Governo da Bahia, de 21 de fevereiro. Um novo Decreto, n. 20.259, foi publicado dia 28 de fevereiro, alterando o anterior. A principal alteração nas medidas referentes às atividades e eventos religiosos é a seguinte:

“Os atos religiosos litúrgicos poderão ocorrer, respeitados os protocolos sanitários estabelecidos, especialmente o distanciamento social adequado e o uso de máscaras, bem como, com capacidade máxima de lotação de trinta por cento” – (art. 5, parágrafo único).

O Decreto refere-se à “capacidade máxima”, definida nesta fase como 30%. Mas, de acordo com a realidade da pandemia na comunidade ou as condições do templo, poderá ser adotado um índice menor do que o estabelecido ou permanecer somente com as transmissões online das celebrações. Se perdurar esta fase da pandemia, poderá ser adotado um único procedimento na Arquidiocese, após ouvir o Clero através dos Vigários Forâneos ou o Conselho Presbiteral, cuja reunião prevista para este início de mês foi suspensa devido às restrições do Decreto vigente.

Na programação das celebrações, é preciso também considerar atentamente as restrições à locomoção (toque de recolher), neste momento, das 20h às 5h, até 08 de março, que podem sofrer alterações.

O referido Decreto está em vigor até dia 08 de março, podendo ser prorrogado ou modificado. É preciso atenção às eventuais mudanças nas medidas estabelecidas em nível estadual ou municipal, inclusive medidas restritivas para bairros de uma mesma cidade. Recomendo redobrar os esforços para por em prática as medidas de saúde pública que já têm sido adotadas em nossas igrejas.  Agradeço-lhe muito pelos esforços realizados para cumprir as medidas estabelecidas. A nossa Igreja tem dado a sua contribuição para superação da pandemia. Não podemos desanimar, nem desistir de colaborar, pois vidas humanas estão em jogo.

Estaremos enviando novas orientações ou esclarecimentos, de acordo com a evolução da pandemia e as medidas decretadas. Aproveito para comunicar que serão divulgadas, em breve, orientações sobre as celebrações da Semana Santa, na Arquidiocese.

Para concluir, proponho um trecho do meu artigo semanal, publicado dia 28 de fevereiro:

Neste tempo de pandemia, a Quaresma torna-se ainda mais significativa, levando-nos o voltar o olhar e o coração para Cristo crucificado e a reconhecer o seu rosto sofredor nos rostos dos que mais sofrem. É tempo de subir o calvário e permanecer aos pés da cruz, sendo mais fraternos e solidários.

O mundo necessita de Cirineus e Verônicas, o Cirineu que alivia a dor e a Verônica que enxuga as lágrimas de quem sofre.  Eles estão presentes junto aos doentes, aos aflitos e aos pobres. Além disso, o cuidado da vida e da saúde tem exigido renúncias e sacrifícios. Observar as medidas para conter a pandemia pode ser um sacrifício agradável a Deus e sinal de amor ao próximo.

Tenha uma frutuosa Quaresma, com saúde e paz.

Fraternalmente, em Cristo, 

Dom Sergio da Rocha

Cardeal Arcebispo de São Salvador da Bahia e Primaz do Brasil


Fonte: Noticias da Arquidiocese de Salvador

Artigos relacionados