Arquidiocese de Salvador

Em entrevista, padre Manoel Filho fala sobre o tema escolhido para o Dia Mundial do Migrante e Refugiado e sobre o atendimento na Paróquia Ascensão do Senhor

“Rumo a um ‘nós’ cada vez maior”. Este é o tema divulgado pela Santa Sé para a mensagem do 107º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, que será celebrado no dia 26 de setembro de 2021. A partir deste tema, que é inspirado na Encíclica sobre a fraternidade universal “Fratelli tutti”, a Pastoral da Comunicação Arquidiocesana (Pascom) entrevistou o padre Manoel de Oliveira Filho, pároco da Paróquia Ascensão do Senhor, um dos templos onde são acolhidos migrantes e refugiados na capital baiana. Confira este bate-papo!

Pastoral da Comunicação – Em um mundo cada vez mais centrado no “eu”, o tema escolhido pelo Papa Francisco para a mensagem do 107° Dia do Migrante, celebrado no mês de setembro, destaca a palavra “nós”. Para quem deseja acolher no coração essa mensagem, quais devem ser os primeiros passos?

Padre Manoel Filho – A mensagem de Jesus Cristo diz muito desse “nós” proposto pelo Papa. Não há nenhuma possibilidade de que alguém que, de fato, busca acolher e viver a mensagem do Evangelho seja egoísta, vivendo na lógica do “eu”. Para viver a partilha, a acolhida, a construção de um mundo mais fraterno basta ler, rezar e contemplar a Palavra de Deus.

Pastoral da Comunicação – Qual o principal objetivo do trabalho com os migrantes e refugiados dentro da Igreja?
Padre Manoel Filho – Acolher o peregrino, ser sinal do abraço acolhedor de Jesus Cristo em um mundo que insiste em excluir. No Evangelho de Mateus, Capítulo 25, quando narra a sua volta, Jesus deixa claro que o critério que será usado conosco para o acolhimento no Reino definitivo é o da caridade: “Estive nu e me vestistes, com fome e me alimentastes, com sede e me destes de beber, doente e preso e me visitastes, peregrino e me acolhestes”. “Vinde benditos do meu Pai”.

Pastoral da Comunicação – De que forma as pessoas que conhecem um migrante recém-chegado à capital baiana podem encaminhá-lo?
Padre Manoel Filho – Já existem outros núcleos para a Pastoral do Migrante em nossa Arquidiocese.  O Santuário Nossa Senhora da Conceição Aparecida, no Imbuí, iniciou um caminho; os Jesuítas, também. Conosco, na Paróquia Ascensão do Senhor, podem falar através das redes sociais da paróquia e do Centro Comunitário Monsenhor José Hamilton.

Pastoral da Comunicação – Neste período de pandemia, como tem sido o atendimento aos migrantes e refugiados?
Padre Manoel Filho – Continuamos com o atendimento fraterno, na escuta e no atendimento das demandas que eles os trazem. Alimento, moradia, mediação para emprego e de doações de utensílios domésticos são o que mais acontece. Mas, também doamos óculos, buscamos consultas médicas. É um trabalho sob demanda e possibilidades de atendimento.

Ficou interessado em ajudar? A Pastoral do Migrante recebe doações, que podem entregues na Matriz da Paróquia Ascensão do Senhor [3ª Avenida do Centro Administrativo da Bahia – CAB]. Para outras informações, o interessado deve entrar em contato através do telefone (71) 3115-3575; pelo Instagram ou pelo Facebook: @paroquiaascensao


Fonte: Noticias da Arquidiocese de Salvador

Artigos relacionados