Arquidiocese de Salvador

Papa Francisco destinou recursos de carro leiloado para instituições de caridade

Carro doado ao Papa Francisco pela Lamborghini foi autografado e leiloado pelo pontífice. Valor arrecadado foi destinado para obras sociais – Foto: ACN – Itália

O Papa Francisco é esperado com grande expectativa no Iraque. Os cristãos iraquianos, que passaram por uma dura perseguição, estão procurando pelo pontífice em busca de apoio e orientação espiritual. Mas é bom lembrar que muitos desses cristãos já foram ajudados pelo Papa Francisco, muito antes da próxima visita papal – embora tenha sido uma ajuda um tanto incomum.

Em novembro de 2017, o Papa Francisco recebeu um presente da Lamborghini, a famosa marca italiana de automóveis. Tratava-se de uma versão personalizada de seu carro esportivo de ponta, o Huracán. Depois de “autografar” o capô do carro, o Santo Padre decidiu leiloar o automóvel e doar o dinheiro arrecadado para instituições de caridade. A Fundação Pontifícia ACN foi uma das instituições de caridade designadas pelo Papa e recebeu a quantia de 200.000 euros, que foi imediatamente destinada ao apoio às comunidades cristãs da Planície de Nínive, no Iraque, que finalmente contemplava a possibilidade de retornar às suas cidades e aldeias de origem, depois de terem sido forçados a fugir pela invasão brutal dos terroristas do grupo Estado Islâmico.

A doação do Santo Padre possibilitou a conclusão de dois importantes projetos. O primeiro deles foi a reconstrução do centro comunitário dedicado à Virgem Maria em Bashiqa, que pertencia à comunidade católica siríaca e que havia sido totalmente destruído pelo grupo Estado Islâmico. Dos 200 mil euros doados pelo Papa, a ACN destinou 166 mil a este projeto, que se somaram às doações de tantos outros benfeitores da ACN em todo o mundo, inclusive no Brasil.

O segundo projeto foi a reconstrução da creche siríaca católica, que também havia sido parcialmente destruída pelos terroristas. Os restantes 34.000 euros provenientes da doação feita pelo Papa Francisco foram destinados pela ACN a esta iniciativa. A construção, que acolherá cerca de 70 crianças, está concluída, embora as atividades ainda não tenham recomeçado por conta da pandemia de Covid-19.

“Estamos muito satisfeitos por ter terminado o trabalho no jardim de infância de Nossa Senhora, que ajudará e encorajará nossos filhos a retornarem a Bashiqa e retomar sua educação”, comentou o bispo católico siríaco Yohanna Boutros Mouche, de Mosul, e o pároco da Igreja de Nossa Senhora, padre Rezqallah Alsimanni.

De acordo com os dados mais recentes disponíveis para a ACN, atualizados em 12 de janeiro de 2021, mais de 45% das famílias que originalmente viviam na Planície de Nínive e foram expulsas pela violência extremista agora voltaram para suas cidades e vilas, em grande parte graças ao esforço de solidariedade da comunidade católica internacional. E quase 57% das casas destruídas já foram reconstruídas, graças às contribuições de várias organizações de caridade.

Ao destinar a doação do Santo Padre para esses dois projetos, a ACN quis demonstrar seu apoio aos cristãos perseguidos pelo grupo Estado Islâmico. Hoje, ambos os projetos estão concluídos, a tempo da histórica visita apostólica do Papa Francisco ao Iraque.

Sobre a ACN (Ajuda à Igreja que Sofre)

A ACN (Ajuda à Igreja que Sofre) é uma Fundação Pontifícia que auxilia a Igreja por meio de informações, orações e projetos de ajuda a pessoas ou grupos que sofrem perseguição e opressão religiosa e social ou que estejam em necessidade. Fundada no Natal de 1947, a ACN tornou-se uma Fundação Pontifícia da Igreja em 2011. Todos os anos, a instituição atende mais de 5.000 pedidos de ajuda de bispos e superiores religiosos em cerca de 140 países, incluindo: formação de seminaristas, impressão de Bíblias e literatura religiosa – incluindo a Bíblia da Criança da ACN com mais de 51 milhões de exemplares impressos em mais de 180 línguas; apoia padres e religiosos em missões e situações críticas; construção e restauração de igrejas e demais instalações eclesiais; programas religiosos de comunicação; e ajuda aos refugiados e vítimas de conflitos.

Texto e fotos: ACArquidiocese de Salvador

Papa Francisco

 


Fonte: Noticias da Arquidiocese de Salvador

Artigos relacionados