Arquidiocese de Salvador

Conexão via oração: “Não é só porque estamos de férias que devemos esquecer de Deus”

Janeiro é marcado por ser o mês no qual as paróquias, sacerdotes e fiéis entram no período de férias, desaceleram o ritmo do dia a dia e buscam atividades de lazer e descanso. Porém, as férias não podem ser um sinônimo de afastamento de Deus, de acordo com o pároco da Paróquia Santíssimo Sacramento, na Ilha de Itaparica, padre Rosalvo Humildes, que pontua que este também deve ser um momento de fortalecimento da relação com Cristo, por meio de diálogos, oração e participação nas Celebrações Eucarísticas, seja presencialmente ou na modalidade online.

“O período de férias é um sinal de graça que Deus oferece a cada um dos Seus filhos para que tenham a oportunidade do lazer. Mas, além disso, é importante ter a convicção que não é só porque nós estamos de férias que devemos esquecer de Deus. Devemos participar das Celebrações, manter o ritmo de oração e devoção dos santos”, orienta.

Padre Rosalvo conta que neste período de janeiro ocorre muitas festividades religiosas na Ilha de Itaparica, para que os veranistas, turistas, moradores locais e antigos possam participar das celebrações, que neste ano serão feitas na Igreja de São Lourenço, no Centro da cidade, com o limite reduzido de fiéis (40 pessoas), em respeito as normas de segurança contra a disseminação do novo coronavírus.

De acordo com a coordenadora da Pastoral da Comunicação (Pascom), Mércia Santos, na Paróquia Sant’Ana, no Rio Vermelho, as férias para a maioria das pessoas vêm para ser um período de desconexão dos trabalhos, e isto também inclui as atividades paroquias que essas pessoas desenvolvem. Mas ela frisa que isso não pode significar esquecer de Deus, porque “as férias não devem ser uma brecha para que o cristão tente ser o oposto do que é, ou daquilo que a gente tenta ser dentro dos quatros muros da Igreja”, afirma.

“Aonde quer que eu esteja, seja viajando ou em qualquer lugar, eu faço questão de não esquecer de Deus e de que sou cristã. E, sobretudo, da minha vida de oração, na participação da Missa porque eu sempre tenho esse zelo de participar das celebrações, seja em dia santo de guarda ou aos domingos, para estar em comunhão com Deus”, comenta Mércia, completando que “o fato de eu estar de férias só significa que eu reduzi as minhas atividades, mas não quer dizer que eu perdi o contato com Ele”, diz.

Para Mércia, esse período de maior tempo pode ser utilizado para que o fiel reflita sobre a vida e entre numa maior intimidade com Deus. “Nas férias a gente tem o período de pensar mais, rezar mais, estudar mais. É um tempo que pode ser utilizado para conhecer mais sobre Ele e se aproximar. Acho que, no final das contas, é cada um saber fazer o bom uso das suas férias”, recomenda.

Para aqueles que buscam se manter conectados com Deus durante as férias, o padre Rosalvo Humildes orienta o primeiro passo que deve ser dado: “Primeiro você deve fazer da sua vida uma página do Evangelho, ou seja, você deve colocar em prática tudo aquilo que Ele nos ensinou: o ensinamento do amor. Quando você ama a Deus, o seu próximo, seus amigos e até os inimigos, você está conectado com Deus. Esse é um dos principais elementos”, assevera.


Fonte: Noticias da Arquidiocese de Salvador

Artigos relacionados