Arquidiocese de Salvador

Na Solenidade de Cristo Rei do Universo, Arquidiocese de Salvador se despediu de Dom Hélio Pereira dos Santos

No dia em que a Igreja celebra a Solenidade de Cristo Rei do Universo, padres, diáconos, religiosos e leigos participaram da Missa em gratidão pelo Ministério de Dom Hélio Pereira dos Santos, que ao longo de quatro anos colaborou, como bispo auxiliar, com o pastoreio dos Arcebispos Primazes (Dom Murilo Krieger, que agora é Arcebispo Emérito; e Cardeal Dom Sergio da Rocha, atual Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil). Agora, Dom Hélio assumirá uma nova missão: pastorear, como bispo coadjutor, a Diocese de Serrinha, localizada a mais de 180 Km da capital baiana.

A Celebração Eucarística teve início às 10h, na Catedral Metropolitana Transfiguração do Senhor (Catedral Basílica), localizada no Terreiro de Jesus. Nos ritos iniciais, o Cardeal Dom Sergio da Rocha agradeceu a Deus pelo tempo em que Dom Hélio caminhou como bispo auxiliar da Arquidiocese de Salvador. “Hoje, nós louvamos a Deus de modo especial pela presença fraterna, pela dedicação generosa de Dom Hélio, que foi nosso bispo auxiliar nesses últimos quatro anos. Muito obrigado, de coração, Dom Hélio! Para expressar nossa gratidão, nosso sincero agradecimento, nós aqui nos unimos nesta Eucaristia. Aqui estamos para rezar com o senhor e para agradecer a Deus pelo ministério episcopal do senhor e a Ele confiar essa nova etapa da sua vida”, afirmou o Arcebispo, passando para Dom Hélio a presidência da Missa, que foi concelebrada por Dom Sergio, Dom Marco Eugênio (bispo auxiliar), Dom Luís Gonzaga Pepeu (Arcebispo Emérito da Arquidiocese de Vitória da Conquista) e por padres da Sé Primacial.

Durante a homilia, Dom Hélio falou sobre a Solenidade celebrada nesta data. “A celebração deste dia nos mostra a realeza de Cristo de maneira diferente daquela realeza daquela dos chefes das nações. A realeza de Cristo que significa a revelação da atuação de Deus. O Reino que Cristo apresenta significa o senhorio de Deus, o agir e a atuação de Deus. Cristo Rei do Universo, Rei do amor, Rei do serviço, Rei do cuidado, Rei da atenção. A ação salvadora de Deus se concretiza na solicitude, na atenção para com todos. A imagem do pastor na nossa cultura urbana, no nosso contexto de cidade não é muito conhecida. A nossa atitude deve ser de entrega a esse pastor, que conduz, que não nos deixa pelo caminho”, afirmou.

Logo após a Liturgia Eucarística, Dom Hélio acolheu mensagens em nome dos leigos, dos diáconos e do clero. Em seguida, Dom Hélio também agradeceu a Dom Sergio, Dom Murilo, Dom Marco, a todo o clero, religiosos, religiosas e a todo o Povo de Deus. “Alguém me perguntou: ‘o que o senhor leva e o que o senhor deixa da Arquidiocese de São Salvador da Bahia?’. Primeiro, levo o testemunho de um povo que vive a fé com alegria. Isso constatei no dia a dia, nas procissões bem animadas e nos diversos eventos de fé; levo as lembranças de um povo acolhedor. Em todos os lugares que eu fui, eu fui bem acolhido; levo os exemplos de bispos, padres, diáconos, religiosos, religiosas, cristãos leigos e leigas que no silêncio do cotidiano, muitas vezes enfrentando dificuldades, procuram com palavras e ações colaborar para a expansão do Reino de Deus”, afirmou.

“O que deixo? Deixo o compromisso de rezar pela Arquidiocese de São Salvador da Bahia como sinal de gratidão por todo aprendizado que recebi no exercício do Ministério Episcopal; deixo uma sincera gratidão a todos que formam a porção do Povo de Deus nessa Arquidiocese. Obrigado pela acolhida cordial que aqui recebi, desde os primeiros momentos, antes mesmo de chegar aqui, através do Arcebispo Dom Murilo que hoje se encontra emérito. Dom Sergio, nosso cardeal, apesar do pouco tempo de convivência, muito me cativou e me ensinou. Muito obrigado! Deus recompense o senhor pelo sim em exercer o ministério nesta Arquidiocese. E a todos, muito obrigado! Que Deus recompense a cada um pelo bem que fez e faz”, disse Dom Hélio emocionado.

Dia Nacional do Laicato

Neste dia 22 de novembro, a Igreja também celebra o testemunho de homens e mulheres de fé, chamados de leigos e leigas. Na Catedral Basílica, a Missa desta manhã também foi celebrada para louvar e agradecer a Deus pelo amor e dedicação do Seu povo. “Em Nome da nossa Igreja, quero expressar gratidão muito sincera aos leigos e leigas de ontem e de hoje, aos fiéis todos que tanto têm contribuído para que os bispos, para que o clero, para a Igreja que aqui está possa cumprir bem a sua missão. Por isso, estão aqui representantes de pastorais, movimentos, serviços, associações, novas comunidades, Conselho Arquidiocesano de Pastoral”, disse Dom Sergio.

Para a leiga Taciane Barros de Melo, membro do Conselho Arquidiocesano de Pastoral, celebrar o Dia do Leigo é voltar o olhar para a missão que a cada um foi confiada por Deus. “Ter um dia dedicado ao laicato é muito importante para nós, cristãos leigos, termos consciência do nosso papel na Igreja, da nossa vocação de ser sal da terra e luz do mundo, der um sinal de Deus e do Seu amor nos diversos ambientes onde estamos inseridos: na família, na sociedade, no trabalho, na política e em tantos outros. É uma alegria termos esse reconhecimento, de sermos partícipes desta grande família, e também da nossa responsabilidade para com a Igreja, de assumirmos esse compromisso que nos é dado pelo nosso Batismo, de ir ao mundo pregar o Evangelho a toda criatura”, afirmou.

Arquidiocese

A Celebração Eucarística deste domingo também marcou os 344 anos de elevação da Diocese de São Salvador da Bahia á dignidade de Arquidiocese de São Salvador da Bahia. “Nós bendizemos a Deus pela graça dos 344 anos de elevação da nossa Igreja à categoria de Arquidiocese. Gesto tão belo e tão importante para a vida da Igreja e para a vida do próprio país, realizado em 1676, pelo Papa Inocêncio XI, hoje Beato Inocêncio XI. Logo no início do seu pontificado, um dos seus primeiros atos foi criar a Arquidiocese de São Salvador da Bahia, nossa querida Igreja. Nós bendizemos a Deus por este gesto que marcou tanto, não só Salvador ou a Bahia, mas todo o Brasil e o próprio relacionamento do Brasil com Portugal”, destacou Dom Sergio.

Texto e fotos: Sara Gomes































































Fonte: Noticias da Arquidiocese de Salvador

Artigos relacionados