A Páscoa e o essencial da fé cristã

Dom Jaime Spengler
Arcebispode Porto Alegre (RS)

Conta a lenda que “uma abadia atravessava uma crise. No passado, albergou muitos monges jovens. Agora estava deserta. Só alguns velhos monges perambulavam pelos corredores e louvavam a Deus com o coração pesado.

Na mata vizinha, um rabino construiu para si uma cabana. De vez em quando, vinha ali para orar e jejuar. Nunca ninguém lhe dirigiu a palavra, mas cada vez que voltava à sua cabana, a notícia circulava entre os monges: ‘O rabino passeia debaixo das árvores’. E enquanto ele ali permanecia, os velhos monges sentiam-se rejuvenescer pelo seu exemplo.

Um dia, o abade decidiu visitá-lo. Depois da missa da manhã, dirigiu-se ao bosque. Aproximando-se, viu o rabino junto da entrada, de braços estendidos em sinal de boas-vindas. Os dois homens abraçaram-se como irmãos que estavam há tempos separados e que agora se encontravam. Depois permaneceram um em face do outro e sorriram demoradamente.

O rabino convidou o abade a entrar na cabana. No meio, havia uma mesa de madeira, sobre a qual estava a Bíblia aberta. Sentaram-se na presença do livro.

De repente o rabino começou a soluçar. Contagiado, o abade não pode resistir e, cobrindo a face com as mãos, pôs-se a chorar também. Pela primeira vez na sua vida ele esvaziava o seu coração.

Quando a fonte estancou, o rabino disse: vocês servem a Deus com um coração pesado. Vieste buscar a luz perto de mim. Vou dizer-te um segredo que vós podereis repetir só uma vez.

O rabino olhou o abade nos olhos e disse-lhe: o Messias encontra-se entre vós. Fez-se silêncio. Depois, disse: agora é melhor que te vás. O abade partiu sem dizer uma palavra.

Na manhã seguinte, reuniu os monges. Disse-lhes do segredo recebido, e que nunca mais deveria ser repetido. Olhando seus irmãos nos olhos, disse: o rabino disse que um de nós é o Messias. Os monges ficaram estupefatos. O que significa?, perguntaram. Frei João é o Messias ou Frei Mateus ou Frei Tomás? Que significa isto? Estavam perturbados com o segredo do rabino, mas ninguém mais falou nele.

À medida que o tempo passava, os monges começaram a tratar-se uns aos outros com delicadeza e atenção. Reinava entre eles uma cordialidade e uma qualidade de relações que todo mundo podia notar. Conviviam como se tivessem descoberto algo, e todos rezavam e estudavam a Escritura como homens que procuravam algo.

Os hóspedes que passavam por ali ficavam impressionados pela maneira de orar daqueles homens e pela qualidade do seu acolhimento. Fiéis vieram de todos os lados para se alimentar da vida de oração dos monges”.

Caminho privilegiado para a graça do encontro com o Ressuscitado é o exercício do encontro com a Palavra, os Sacramentos e os irmãos e irmãs.

As celebrações da Páscoa são oportunidade para reencontrar o essencial da fé cristã: a Palavra, os Sacramentos e a vida em comunidade dos irmãos e irmãs.


Fonte: Noticias da CNBB

Rede Excelsior de Comunicação

Leve a rádio sempre com você
Baixe nosso aplicativo

Some description text for this item

receba novidades por email
Assine a nossa newsletter

Some description text for this item

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.