Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Política

“Não adianta ampliar leitos se as causas do preenchimento não forem tratadas”, desataca Alex da Piatã

“Não adianta ampliar leitos se as causas do preenchimento não forem tratadas”, desataca Alex da Piatã

O deputado estadual e presidente da Comissão da Saúde na Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Alex da Piatã (PSD), durante seu discurso na audiência pública que discutia os gargalos da regulação no âmbito estadual, afirmou que de nada adianta ao governo ampliar leitos hospitalares se as causas dos problemas não forem tratadas. “Sobre a regulação, eu quero me ater a um só motivo que eu sei que existem vários, desde tecnologia, informação, gestão de todo o processo, a oferta de leitos... tudo isso estamos vendo e fazemos a seguinte pergunta: como estão aumentando tanto as ofertas de leitos e estamos com o mesmo problema? Sempre nas viagens com o governador e o secretário em relação às causas. Se a gente não atacar as causas não adianta ofertar vaga o tempo todo”, disse na manhã desta segunda-feira (10).  “Podemos citar vários e quero insistir em uma causa que eu acredito ser a principal do nosso problema na regulação: os acidentes de motos. É impressionante! Tem gente que não tem ideia do que vemos no interior de sexta à noite a domingo de madrugada. É uma chuva de ocorrência de acidente de moto”, reiterou.  O pessedista também ressaltou que pelos hospitais que tem passado busca perceber quais são os principais problemas causadores dos preenchimentos de vagas nas unidades e os acidentes de moto lideram. Para ele de nada adianta a melhoria se não houver a prevenção.  A audiência, de autoria do deputado José de Arimateia (PRB), contou com a presença do secretário da Saúde da Bahia, Fábio Villas Boas.
Leo Prates cobra edição de decreto sobre limites do Parque Metropolitano de Pituaçu

Leo Prates cobra edição de decreto sobre limites do Parque Metropolitano de Pituaçu

Na condição de relator do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano, em 2016, o presidente da Câmara Municipal de Salvador, vereador Leo Prates (DEM), cobrou do Governo do Estado, em discurso na sessão ordinária desta terça-feira (10), a edição de um decreto sobre os limites do Parque Metropolitano de Pituaçu. O PDDU foi sancionado no mesmo ano pelo prefeito ACM Neto.  “Quando o PDDU tramitava nesta Casa, uma emenda do vereador Joceval Rodrigues (PPS), acatada pelo Governo do Estado, modificava os limites do Parque Metropolitano de Pituaçu, com a cessão de um espaço para a Universidade Católica de Salvador”, explicou Prates. Apoio De acordo com o parlamentar, no mesmo ano o secretário estadual de Meio Ambiente, Eugênio Spengler, enviou um ofício (72/2016) à Câmara Municipal sobre a expansão da UCSAL. “Os limites sugeridos pelo Governo do Estado sobre esta questão, que abrange também o Parque Metropolitano de Pituaçu, foram acatados na íntegra na elaboração do PDDU”, frisou. Entretanto, segundo Leo Prates, “dois anos após a conclusão do PDDU o Governo do Estado ainda não elaborou um decreto regulamentando os novos limites”. Para o presidente, “é necessário que o Governo do Estado cumpra a sua sugestão”. Neste sentido, solicitou o apoio dos vereadores da oposição, argumentando que “a Universidade Católica de Salvador é uma importante instituição educacional desta cidade ”. Em um aparte ao discurso de Leo Prates, o vereador José Trindade (PSL) afirmou que solicitará à Casa Civil do Governo do Estado a edição do referido decreto. “É pertinente esta solicitação do presidente desta Casa”, afirmou Trindade. Já o vereador Joceval Rodrigues frisou que esta regulamentação “é muito importante para o desenvolvimento de diversos projetos sociais da Ucsal”.