A devoção e Festa de Santa Bárbara, que acontece há 376 anos, sempre no dia 4 de dezembro, no Centro Antigo de Salvador, está revalidada pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac). Isso significa que a manifestação continuará com o título de Patrimônio Imaterial da Bahia por mais cinco anos. “Em obediência à Lei n°8.895/2003 e ao Decreto Estadual nº10.039/2006 que regulamenta a lei, a cada cinco anos, nos dispomos a reavaliar e revalidar os patrimônios imateriais baianos titulados via decreto do governador”, explica o diretor geral do Ipac, João Carlos de Oliveira. Ele lembra que as manifestações populares são um bem imaterial de um povo que preserva sua cultura e reforça sua identidade.

“No entanto, ao contrário dos bens materiais, como edificações e obras de arte, o bem imaterial é dinâmico, vivo e está em constante transformação”, diz. As modificações podem ser em função das gerações que produzem ao longo dos anos ou por motivos econômico-financeiros, de geografia humana e contingenciamentos externos. “Além de atendermos a lei, observamos se ocorrem interferências externas que possam alterar a tradição”, completa João Carlos.

Antropólogos, sociólogos, historiadores e fotógrafos, vinham trabalhando com extenso conteúdo captado durantes as festas de 2015 e 2016. “O percurso da fé continua o mesmo, com mesmas características que mantêm viva a tradição e a devoção, iguais ao ano de 2008, quando o Instituto construiu o dossiê que permitiu o título de bem cultural intangível”, diz o diretor de Preservação do Patrimônio do Ipac, Roberto Pellegrino. Confira mais informações no site do Ipac.