Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Cidades

Macacos do Zoológico não oferecem risco relacionado à febre amarela

Macacos do Zoológico não oferecem risco relacionado à febre amarela

Cerca de 200 primatas, de diferentes espécies, vivem no Parque Zoobotânico de Salvador, localizado no bairro de Ondina. Apesar das dúvidas e apreensão de baianos e turistas, eles não oferecem risco à população de infecção por febre amarela. A coordenação do parque, que é ligado à Secretaria do Meio Ambiente do Estado (Sema), tem recebido ligações e perguntas de visitantes e esclarece que não há motivo para medo desses animais nem para agressões a outros macacos que vivem na natureza. “Os primatas são hospedeiros assim como nós, humanos. Mesmo que um macaco esteja doente, ele não é capaz de fazer a transmissão direta ao homem”, explica o coordenador e médico veterinário do Zoo de Salvador, Vinícius Dantas. O veterinário acrescenta que, “na verdade, a morte deles [primatas] serve como um alerta para a vigilância sanitária saber da presença do vírus e do risco da doença chegar aos humanos, mas não através do macaco. Temos que tratar esses animais como parceiros e não como vilões”. De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), fragmentos do vírus da febre amarela foram encontrados em quatro macacos mortos na capital baiana, nos bairros de Vila Laura, Paripe e Itaigara. No entanto, o veterinário do Zoológico destaca que ainda são necessários exames mais detalhados para afirmar que os animais morreram por complicações da febre amarela. Em todo o estado, até o momento, 23 casos foram positivos para a presença do vírus em primatas. Nenhum caso do tipo foi registrado entre os animais que vivem no Zoológico e algumas medidas de prevenção já foram tomadas pela equipe. “Infelizmente, não há vacina para esses animais. Algumas espécies são mais sensíveis à doença e o que estamos fazendo é colocar esses macacos em locais com uma tela de proteção que impede a passagem dos mosquitos. São medidas preventivas para diminuir o risco de ficarem doentes, mas as pessoas não precisam ter medo ou deixar de vir ao Zoológico”, afirma Dantas.   Atualização Conforme boletim divulgado pela Sesab, na última sexta-feira (31), a Bahia não possui nenhum caso confirmado de febre amarela em humanos, com infecção dentro do território do estado. O boletim epidemiológico registra 16 casos notificados, sendo que nove encontram-se em investigação e sete foram descartados.
Exposição nas estações do metrô celebra aniversário de Salvador

Exposição nas estações do metrô celebra aniversário de Salvador

Como parte das comemorações do aniversário da capital baiana (29 de março), o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), por meio da Diretoria de Museus, e a CCR Metrô da Bahia apresentam ao público, em quatro estações do metrô, a exposição ‘Salvador 468 anos: Uma Viagem no Tempo’, composta por fotos e postais do acervo do Museu Tempostal (Pelourinho), com imagens desde fins do século 19 a meados do século 20. A iniciativa prevê a realização de uma série de atividades educativas e culturais nas estações do sistema metroviário durante o ano de 2017. A mostra itinerária, com 10 totens e 20 lâminas, ficará aberta à visitação do próximo dia 27 a 7 de abril na Estação Lapa (27 a 29), Estação Acesso Norte (30 de março a 1° de abril), Estação Pirajá (2 a 4 de abril) e Estação Rodoviária (5 a 7 de abril). O objetivo da mostra é levar o público a fazer uma caminhada no tempo, visualizando panoramas do urbanismo e a arquitetura no passado, para uma compreensão das paisagens urbanas no presente.