Editoriais

Família Excelsior Participa de Manhã de Reflexões

Em mais um encontro mensal realizado na Igreja da Lapa, a Família Excelsior refletiu sobre questões importantes para a evangelização e prática cidadã na condição de cristãos comprometidos com a ética e a justiça social.

As reflexões foram conduzidas por padre Aderbal Galvão que, com o auxílio do Dr. Getúlio Tanajura, convidou os representantes a analisarem o artigo de Yvette Amaral, publicado na edição de julho do Folha de São Pedro, que enfoca a visão do Papa Francisco sobre o valor do silêncio. No texto, São José é considerado uma referência como aquele que fez uso de um silêncio ativo e não omisso (como ocorre muitas vezes), agindo para a construção e expansão do Reino de Deus aqui na Terra. “São José foi exemplo de obediência e de ação no Senhor”, pontuou padre Aderbal, explicando que essa é a postura esperada dos integrantes da Família Excelsior.

Outro ponto destacado no artigo é a cultura do encontro, também analisado pelo padre Aderbal. “Não podemos viver isolados, por mais que estejamos em uma sociedade que prega o individualismo. Jesus sempre cultivou a cultura do encontro por meio do trabalho em comunidade”, explicou o padre, assinalando que esse formato implica na utilização do que cada um tem a oferecer em benefício do todo.

“Nós temos uma rede de emissoras de rádio que atinge mais de 50 mil pessoas por minuto e essas emissoras estão à disposição da Família Excelsior para evangelizar. Já a Família Excelsior disponibiliza o empenho de trabalhar a favor do seu próprio crescimento com o objetivo de levarmos cada vez mais longe a Palavra de Deus”, pontuou ele, exemplificando o valor da união difundido pelo próprio Jesus.

A eliminação da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de Futebol de 2018, ocorrida um dia antes da reunião, também serviu como ponto de reflexão do atual cenário político e social do Brasil. “Apesar de termos desejado a vitória, agora, mais do que nunca, somos convidados a agir como verdadeiros técnicos durante as eleições de outubro próximo, mudando os ‘jogadores’ que precisam ser mudados nesse ‘time’ de políticos. Essa nova ‘seleção’ dependerá de nós”, ressaltou padre Aderbal.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *