Editoriais

Família Excelsior Louva a Sua Padroeira, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Em 27 de junho próximo, celebramos o Dia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, padroeira da Família Excelsior. Com esse título, Nossa Senhora é lembrada como aquela que nos socorre nas fraquezas, amparando-nos e guiando-nos até seu Filho amado, em relação ao qual continua a nos orientar como fez nas Bodas de Caná: “Fazei tudo que Ele vos mandar” (João 2,5).

Esse zelo – retratado na imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro que abriga Jesus com ternura transmitindo-lhe segurança – é extensivo a todos os seus filhos, entregues aos seus cuidados pelo próprio Cristo antes de morrer na cruz.

A devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é uma das mais populares do planeta e sua história é marcada por curiosidades e fatos surpreendentes. Existe uma crença que seu quadro, tal qual o conhecemos, foi pintado pelas mãos de São Lucas que, além de médico e escritor, também era pintor. Independentemente da origem, porém, a imagem reúne muitos significados por trás da arte e da beleza da obra.

O quadro histórico apresenta uma figura bizantina sobre madeira dourada, representando a Virgem Maria a meio corpo, vestida com uma túnica vermelha e tendo um manto escuro cobrindo-lhe a cabeça. Na parte superior do quadro, encontramos inscrições em grego que signifcam “Mãe de Deus”. Acima dos ombros de Nossa Senhora, encontram-se dois anjos, São Miguel e São Gabriel, um de cada lado: um segura uma lança, uma vara e uma esponja, e o outro uma cruz e pregos. São símbolos que indicam o sofrimento de Cristo na cruz e anunciam a sua Paixão. Discretamente, a mão direita de Nossa Senhora aponta para o Menino Jesus, como quem diz: “Esse é o Deus de verdade”.

Hoje, a novena perpétua é realizada em várias partes do mundo nos dias de quarta-feira, reunindo centenas de milhares de devotos para pedir e agradecer pelas graças recebidas. A Família Excelsior também louva a mãe generosa que sempre intercedeu a favor da missão de evangelizar pelo rádio, fazendo com que os desafios surgidos no caminho fossem vencidos com fé e a direção do Espírito Santo.

História – A devoção chegou ao Brasil no final do século XIX, trazida pelos padres redentoristas, que aqui se estabeleceram em 1893. Graças ao zelo desses missionários logo a devoção se expandiu e alcançou enorme popularidade.

De acordo com a tradição, o quadro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi trazido da ilha de Creta por um rico negociante e, a partir de 1499, ela começou a ser venerada na Igreja de São Mateus, em Roma, ali permanecendo durante três séculos. Em 1812 o velho santuário foi demolido, o quadro foi colocado num oratório dos padres agostinianos, longe dos olhares dos devotos, onde ficou perdido durante muitos anos. No ano de 1866, os missionários redentoristas se estabeleceram no antigo convento dos agostinianos e um dos religiosos encontrou documentos referentes à imagem. Após intensa procura, encontraram o quadro e o colocaram na igreja dedicada a Santo Afonso de Ligório, em Roma. Junto com o quadro, os missionários redentoristas receberam do Papa uma incumbência: “Fazei com que todo mundo conheça o Perpétuo Socorro”. E essa é uma missão que os missionários da Congregação do Santíssimo Redentor realizam até hoje, com muito entusiasmo e devoção.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *